Início de ano de incertezas no mercado de carnes

Publicado em 03/01/2017 07:17
180 exibições

Boi Gordo: Início de ano com incertezas no mercado

Por Scot Consultoria

Mercado do boi gordo inicia 2017 com lentidão e incertezas. A situação da oferta e, principalmente, da demanda de começo de ano, estão indefinidas, por enquanto. 

A queda no ritmo dos negócios observada na última semana de 2016 ainda não foi revertida e as escalas encurtaram.

Muitos pecuaristas ainda estão fora das negociações e alguns frigoríficos aguardam uma maior clareza do cenário para a abertura de compras. 

O mercado atacadista de carne bovina com osso segue sem novidades. A reposição dos varejistas ainda não começou, ou ocorre de maneira muito lenta.

O animal casado de animais castrados ficou estável, cotado em R$ 10,01/kg.

Suíno vivo: Com baixa movimentação, SP registra queda de preço nesta 2ª

Por Larissa Albuquerque

A referência do suíno vivo no mercado independente de São Paulo ficaram fechou com queda de 2,298% nesta segunda-feira (2). Com o setor retomando o ritmo após as festividades de Natal e Ano Novo, grande parte das praças não divulgaram cotações no primeiro dia útil de 2017.

Segundo informações reportadas pela APCS (Associação Paulista de Criadores de Suínos), a bolsa de comercialização de suínos “Mezo Wolters“ - em sua primeira reunião em 2017 -, define preços entre R$ 85,00 a R$ 87,00/@, equivalente a R$ 4,53 a R$ 4,64/kg vivo na condições bolsa.

"Por ser o primeiro dia útil do ano, não podemos afirmar como será o comportamento do mercado nos próximos dias. Hoje, praticamente o mercado está sem posição definida", lembra a APCS em nota.

Em Santa Catarina, os negócios ocorrem a R$ 4,20/kg, assim como no Rio Grande do Sul. Já Minas Gerais e Goiás trabalham cotação a R$ 4,70 pelo quilo do vivo.

Para o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), mesmo com o bom desempenho das exportações, a fragilidade do mercado interno limitou o setor em 2016.

"Além disso, o significativo aumento nos custos, devido, especialmente, ao patamar recorde do milho, prejudicou fortemente a produção suinícola", lembra o Centro em seu boletim semanal.

Exportações

Números divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) nesta segunda apontam que os embarques de carne suína in natura, em dezembro, totalizaram 43 mil toneladas. A média diária ficou em 2 mil toneladas, resultando em queda de 32,9% na comparação com novembro/16, mas superior em 14,4% que o mesmo período de 2015.

Em receita, os embarques atingem US$ 97,7 milhões, com valor por tonelada chegando a US$ 2.269,5. Os atuais dados são menores em 41,9% aos resultados de novembro e maior em 36,3% aos resultados de dezembro do ano passado.

Frango vivo: Mercado abre o ano em estabilidade

Por Larissa Albuquerque

As cotações do frango vivo no mercado independente registraram estabilidade no primeiro dia útil de 2017. Em São Paulo segue com negócios a R$ 3,00 pelo quilo e em Minas Gerais a R$ 3,30 por quilo.

De acordo com o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) as cotações tem baixa possibilidade de modificações nesta semana. “Agentes do setor não têm expectativa de melhora nas vendas no curto prazo, já que o mercado deve ficar ainda mais lento nas próximas semanas”, diz o boletim semanal do Centro.

Ainda segundo o Cepea, para o animal vivo, na grande São Paulo, a média da parcial a média de dezembro/16 ficou em R$ 3,01/kg, ligeiramente abaixo (1%) da verificada em dez/15.

Exportações

Dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) nesta segunda-feira (2) apontam que em dezembro foram exportados 326,8 mil toneladas de carne de frango 'in natura', com média diária de 14,9 mil toneladas.

Assim, os embarques registram melhora de 1,5% aos dados de novembro/16, mas acumula perda de 9,8% em relação ao mesmo período de 2015. Em receita, a soma chega a US$ 498,6 milhões, sendo o valor por tonelada em US$ 1.525,5.

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas + Scot

0 comentário