Demanda fraca dificulta alta de preço nas carnes

Publicado em 11/01/2017 07:05
93 exibições

Boi Gordo: Cenário calmo para o mercado, com referência em R$ 149,50/@ em SP

Por Hyberville Neto, médico veterinário da Scot Consultoria

Mercado do boi gordo ainda sem grandes alterações. 

Em São Paulo, as programações de abate estão heterogêneas, mas sem escalas longas, como as observadas no final de 2016, quando as indústrias possuíam boiadas a termo e de parcerias. 

De maneira geral, os pecuaristas ainda não voltaram aos negócios com volume suficiente para tirar a sustentação dos preços. 

Em São Paulo, apesar de não existir pressão de alta forte, houve ajuste positivo para o boi gordo na praça de Barretos. O preço de referência está em R$ 149,50/@, à vista. 

Uma exceção para o cenário de calmaria é a praça de Goiânia-GO, onde há pressão de baixa mais expressiva. Houve desvalorização de R$ 2,00/@ e o preço de referência está em R$ 137,00/@, à vista, com ofertas de compra abaixo deste valor.

No mercado atacadista de carne com osso não houve alterações de preços e a movimentação segue calma.

Novo recuo na Bolsa de Suínos de SP, MG e RS

Por Larissa Albuquerque

As cotações do suíno vivo no mercado independente registraram mais um dia de baixas nesta terça (10). No Rio Grande do Sul, a pesquisa semanal de preço relatou recuo de R$ 0,10 no quilo do animal vivo, saindo de R$ 4,10 para R$ 4/kg.

Já em Minas Gerais, o Mercominas - bolsa de comercialização local - informou referência em R$ 4,40/kg, uma queda de R$ 0,10 em relação ao último levantamento de preço.

Em São Paulo, segundo informações reportadas pela APCS (Associação Paulista de Criadores de Suínos) a nova referência de negócios está entre R$ 81 a R$ 83/@, contra os 85,00 a R$ 87,00/@ praticados na semana anterior.

 De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia, afirma que o volume de oferta no mercado interno segue bem ajustado e que uma reação nas cotações depende da demanda a ser observada nos próximos dias. “O alento é que o custo de produção vem recuando nas últimas semanas, trazendo um pouco de alívio aos produtores”, afirma.

No mercado de Santa Catarina, que também relatou queda de preço na segunda (9), o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio Luiz de Lorenzi, diz esperar que não ocorram novas desvalorizações, uma vez que "o produtor ainda está contabilizando o prejuízo do ano passado", explica.

Cotação do frango vivo recua em Minas Gerais nesta terça (10)

Por Larissa Albuquerque

A cotação do frango vivo no mercado mineiro registrou mais um dia de queda nesta terça-feira (10). Segundo dados da Avimig (Associação dos Avicultores do Estado), o quilo do animal vivo, posto granja, saiu de R$ 3 para R$ 2,90/kg. Em São Paulo, o preço segue estável desde o final da última semana, em R$ 2,80/kg.

De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia, as vendas esperadas para o final de ano pelo setor ficaram abaixo das expectativas. Além disso, o enfraquecimento das exportações nos últimos meses causou excedente de oferta no mercado interno, além da capacidade de absorção da demanda nacional.

Para o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), a recuperação ainda lenta da economia brasileira em 2017, deve seguir limitando a demanda do consumidor.

Por outro lado, o menor poder de compra da população "pode favorecer as vendas de carne de frango, especialmente nas classes de renda mais baixas, tendo em vista que é a opção mais em conta comparada às principais concorrentes, bovina e suína. Assim, o planejamento adequado de alojamento em 2017 será determinante para a manutenção dos preços firmes registrados no ano passado", destaca o Centro, em nota.

Fonte: Notícias Agrícolas + Scot

0 comentário