Na Folha: Cientista mente para expor cético do clima

Publicado em 28/02/2012 12:12 e atualizado em 28/02/2012 16:20 490 exibições
Pesquisador acabou admitindo culpa no episódio e deixou cargo em instituto de pesquisa na Califórnia.
O hidrologista norte-americano Peter Gleick, um dos mais importantes representantes em defesa da realidade sobre o aquecimento global causado pelo homem, assumiu publicamente que falseou sua identidade para obter documentos de uma organização conservadora dos Estados Unidos. O objetivo era ainda tentar expor as táticas de um grupo de céticos do clima.

O caso foi reportado nesta terça-feira pelo editor do caderno Ciência e Saúde, da Folha de São Paulo, Reinaldo José Lopes. Na matéria, o jornalista diz que "caso envenena ainda mais o debate público sobre o aquecimento global nos Estados Unidos, país que é um dos principais responsáveis pelo problema -graças às enormes quantidades de gases do efeito estufa que a nação produz- e onde a briga política entre os que acreditam no fenômeno e os que negam sua existência paralisa as ações para mitigá-lo". 

Gleick enviou a órgãos de imprensa e blogueiros americanos documentos sigilosos do Heartland Institute, uma ONG conservadora que promove o ceticismo climático entre o público. 

Segundo a Folha de São Paulo, Entre os arquivos enviados estavam uma lista de doadores do instituto, como a Microsoft e a General Motors, e mais "detalhes de um plano para criar um currículo para escolas públicas sobre a mudança climática, com o objetivo de ensinar que os cientistas não sabem se o homem está mesmo alterando o clima". 

O hidrologista foi condenado publicamente pelo órgão ao qual pertencia, a União Geofísica Americana e ainda renunciou ao seu cargo no Pacific Institute, na Califórnia.

Com informações da Folha de S. Paulo. Veja a matéria na íntegra clicando no link abaixo:

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário