Clima nos EUA: Há risco de estiagens regionalizadas e Iowa precisa de chuvas

Publicado em 08/08/2013 08:41
3003 exibições
Ainda há risco de estiagens regionalizadas. O menos favorecido pelas chuvas dos últimos 30 dias é Iowa, o maior produtor de soja dos Estados Unidos

O Verão americano, diferente do brasileiro, é marcado por poucas chuvas, principalmente no Meio-Oeste. Nos últimos dias as chuvas foram irregulares e mal distribuídas, mas conseguiram manter uma boa condição do solo para a evolução das lavouras de milho e soja. O Estado de Iowa é o maior produtor da oleaginosa no país e o que mais sofre com a falta de precipitação nos últimos 30 dias. Como 60% dos produtores fizeram o plantio em junho, quando deveria ser feito em abril, ainda há preocupação com desenvolvimento das plantas. 

O início de agosto se mostra muito parecido com a condição de clima observada em julho. Na semana passada se manteve a condição de chuvas irregulares e mal distribuídas sobre o Meio-oeste americano. “Voltou a chover em Missouri e também em Illinois, Indianna e Ohio. Já os estados de 
Iowa, Wisconsin e Minnesota continuam apresentando desvios negativos de chuvas no último mês”, afirma o climatologista da Somar, Paulo Etchichury. 

Os efeitos dessa seca regional são amenizados pela redução do calor e também pela boa reserva hídrica no solo. Como as chuvas ficaram acima da média na Primavera, o que atrapalhou o plantio, qualquer chuva que aconteça durante o Verão ajuda a recuperar a umidade da terra. Além disso, o Departamento de Agricultura Americano – USDA – divulgou que 64% das lavouras de milho e de soja estão em condições excelentes. 

Leia a notícia na íntegra no site do Tempo Agora.

EUA: Milho de Iowa tem produtividade alta mas precisa de chuvas

O milho na região central de Iowa, principal Estado produtor de milho dos EUA, estava a caminho de registrar uma grande produtividade, mas chuvas são necessárias para garantir que os grãos atinjam todo seu potencial, relataram na terça-feira pesquisadores durante uma expedição anual às lavouras.

Rendimentos acima de 200 bushels por acre foram estimados para vários campos no sudoeste de Sioux City por conta da grande população de plantas, além da boa polinização. Mas o potencial da produtividade recuou à medida que os pesquisadores viajavam para o leste, passando pela região central do Estado.

Leia a notícia na íntegra no site da Reuters.

Tags:
Fonte: Tempo Agora + Reuters

0 comentário