Mudanças climáticas já afetam agricultura nos EUA, aponta relatório

Publicado em 06/05/2014 15:29 e atualizado em 06/05/2014 17:22 1771 exibições

Um novo relatório divulgado hoje (6) pelo governo de Barack Obama detalha os drásticos efeitos das mudanças climáticas já sentidos no clima e na agricultura dos Estados Unidos 

Os efeitos das mudanças climáticas na agricultura estão sendo fortemente debatidos nos Estados Unidos nos últimos dias. A administração de Obama divulgou um relatório que detalha os efeitos já comprovados das mudanças do clima no desenvolvimento e na produtividade das safras. 

De acordo com o conselheiro especial da Casa Branca, John Podesta, a avaliação "será a mais competente e abrangente fonte de informação científica já produzida sobre como as mudanças climáticas vão impactar todas as regiões dos Estados Unidos e setores-chave da economia nacional".

Entre os efeitos apontados pelo relatório, estão:

- Efeitos na agricultura: Muitos produtores norte-americanos podem conseguir adaptar sua produção às intempéries climáticas ao longo dos próximos 20 a 25 anos, principalmente porque o aumento da concentração de CO2 na atmosfera pode beneficiar temporariamente algumas culturas. Porém, este cenário não deve durar muito tempo. O aumento da temperatura e clima mais seco devem provocar fortes impactos negativos nos campos e na criação de animais. 

Ainda hoje, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que uma forte seca está prejudicando o desenvolvimento da safra de trigo no país. A proporção de plantios avaliados como “bons ou excelentes” caiu 2% na semana passada e “as plantas estão em sua pior condição desde 1996”, segundo o banco alemão Commerbank.  
   
- Calor e seca no sudoeste dos EUA: A seca sem precedentes registrada este ano no estado da Califórnia, que causou inúmeros incêndios florestais, chamou atenção do mundo para os efeitos das mudanças climáticas. O relatório indica que nos próximos anos, o cenário poderá ser ainda mais preocupante. A Califórnia e o Arizona devem ficar mais quentes e o clima no sul da região tende a ficar mais seco, ocasionando mais incêndios.  
 
- O Ártico é a região do mundo que mais registra aumento de temperatura, por isso, o Alaska – estado norte-americano localizado no Ártico – tem registrado aquecimento gradual nos últimos 60 anos. A tendência é que este padrão continue no futuro. 

- Áreas costeiras em perigo: O furacão Sandy, que afetou os estados de Nova Iorque e Nova Jersey no final do ano 2012, indica o que pode acontecer quando tempestades fortes, aliadas ao aumento do nível do mar, atingem grandes cidades. O relatório estima que mais de 164 milhões de norte-americanos que vivem nas áreas costeiras (mais da metade da população do país) correm risco de enfrentar mais enchentes nos próximos anos. 

O relatório, conhecido como Avaliação Nacional do Clima (NCA, sigla em inglês), é produto de anos de pesquisas realizadas por um grupo de mais de 200 cientistas. O primeiro relatório foi divulgado no ano passado, mas apenas agora foi aprovado e assinado pelo governo federal e pelo Comitê Consultivo para o Desenvolvimento dos Estados Unidos. 

Veja aqui o relatório original, na íntegra: NCA 

Leia mais sobre os efeitos das mudanças climáticas na agricultura dos Estados Unidos:

Monsanto e Secretário da Agricultura dos EUA se pronunciam sobre efeitos das mudanças climáticas na produção agrícola
 

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário