Clima: No Brasil, principais regiões produtoras devem receber maior volume de chuvas entre os dias 7 e 13 de novembro

Publicado em 29/10/2014 09:26 e atualizado em 31/10/2014 14:24 3219 exibições

As principais regiões produtores de grãos do Brasil voltaram a receber chuvas nos últimos dias. Porém, os produtores rurais permanecem preocupados, já que as precipitações ainda são irregulares, o que faz que, em muitas localidades o plantio ainda caminhe de maneira lenta. 

De acordo com o NOAA, serviço oficial de clima do governo norte-americano, as previsões indicam maior acumulado de chuvas para as principais regiões produtoras brasileiras entre os dias 7 e 13 de novembro. Nesse período, as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, deverão receber precipitações entre 25 até 55 mm.

Enquanto isso, no Mato Grosso do Sul, até o momento cerca de 30% da área já cultivada com a soja, conforme dados da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul). O índice está bem abaixo do registrado no mesmo período do ano passado, de 60%. 

Em outra importante região produtora, o estado de Mato Grosso, apenas 20,1% da área foi semeada com a oleaginosa. Segundo dados do Imea (Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária), em 2013, o plantio do grão já estava completo em 50,5%.

A situação também se repete no Paraná, onde cerca de 47% da soja foi cultivada, de acordo com o último boletim do Deral (Departamento de Economia Rural). Já no ano anterior, no mesmo período, os agricultores paranaenses já tinham conseguido finalizar os trabalhos nos campos. 

Além da preocupação com o atraso na semeadura do grão, outra apreensão é o comprometimento da janela ideal de plantio do milho safrinha em 2015. Frente à esse cenário, muitos produtores já estão repensando a próxima safrinha e, inclusive, poderão cancelar parte das compras das sementes e insumos.

Veja abaixo imagem do NOAA:

NOAA

Somar Meteorologia: tempo chuvoso se instala nesta semana sobre a região central do Brasil

Voltou a chover em Mato Grosso e a umidade do solo se recuperou no maior produtor de soja do país. Por conta disso, o plantio de soja avançou, mas ainda está longe da média dos últimos anos. Até o momento, cerca de 20% das áreas do Estado foram semeadas, contra mais de 50% na safra passada. De acordo com o IMEA, O atraso das atividades não preocupa, neste momento a produtividade desta safra de soja, mas sim o potencial de área das culturas de segunda safra do Estado, como algodão e principalmente milho. A última semana de outubro será um divisor de águas para a safrinha no Centro-Oeste, a boa notícia é que a umidade da Amazônia ainda deve provocar chuvas fortes na região, o que mantém as condições de plantio da soja favoráveis nesta semana. Em Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais, onde as chuvas ainda não foram suficientes para aumentar a umidade do solo, a diferença de percentual de plantio entre essa safra e a passada é ainda maior. No Paraná, a falta de chuvas nesta semana acendeu um alerta vermelho para os produtores. No Estado, mais de 40% da área já foi plantada com a oleaginosa e nenhuma área apresenta anomalias, que possam diminuir a produção paranaense. 

Figura 1

Anomalia de Precipitações

Água disponível no solo

Previsão

O tempo chuvoso se instala nesta semana sobre a região central do Brasil. Novas áreas de instabilidade vão provocar chuvas até o fim de outubro no Centro-Oeste. No Paraná nada de chuva até o fim de semana. Mas a partir do dia 1º de novembro volta a chover no Estado e a primeira semana do 
mês que vem será chuvosa em todas as regiões produtoras de soja paranaenses.

Chuvas de 28/10 a 02/11

Chuvas de 02 a 06/11

Chuvas de 7 a 11/11

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
NA + Somar Meteorologia

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário