Continua a seca no sudeste de Buenos Aires; perdas de até 40% nos cultivos

Publicado em 25/01/2017 09:16
559 exibições

A falta de chuvas já está afetando os rendimentos da safra de verão e da atividade pecuária no sudeste de Buenos Aires, no qual já se estimam perdas de até 40% do rendimento no girassol e 30% no milho, segundo alertaram assessores da região ao Clarín Rural.

Em primeiro lugar, Gastón Therisod, assessor CREA (Consórcio Regional de Experimentos Agrícolas) e membro da regional Aapresid Azul-Tandil, sinalizou que o contexto atual "é comparável com a seca de 2008/09. A esta safra tem que agregar também as geadas em novembro que afetou muitos lotes de girassol".

Therisod possui uma visão ampla do sudeste de Buenos Aires. Com base em Tandil, percorre campos em Benito Juárez, Balcarce, Lobería, Ayacucho, Maipú, General Madariaga, Lezama, Azul e Tapalqué e pode descrever a difícil situação da região.

Ele disse que a seca foi progressiva desde 1 de julho de 2016 até a data de agora. Nas zonas que receberam menos chuvas, foram registrados 170mm e nas zonas onde as chuvas foram mais abundantes, 350mm. A média histórica é de mais de 400mm neste período.

"Em janeiro choveram entre 5mm a 60mm dependendo da zona, mas não alcança a média", contou.

O milho também foi bastante afetado pela situação. O cereal plantado de forma mais precoce teve cerca de 10% a 30% do rendimento perdido. A soja, por sua vez, ainda não registrou perdas de rendimento, mas houve perda no estande de plantas nos lotes tardios.

Para os cultivos de inverno, as perdas foram de 25% a 30%, considerando trigo e cevada.

Além disso, muitos cultivos de segunda safra de soja e milho não foram plantados por falta de condições de solo.

Tradução: Izadora Pimenta

Fonte: Clarín

0 comentário