Aumentam para 70% chances de El Niño no fim de 2018 e início de 2019, diz NOAA

Publicado em 16/07/2018 11:14 e atualizado em 18/07/2018 16:18
29312 exibições

LOGO nalogo

O Centro de Previsão Climática do NOAA (Administração Oceânica e Atmosférica Nacional) dos Estados Unidos elevou para 70% as chances de ocorrência do fenômeno climático El Niño entre o final de 2018 e início de 2019. O período corresponderia ao outono e inverno no hemisfério Norte e primavera e verão no hemisfério Sul.

"O ENSO-neutral [período em que nem o El Niño e nem La Niña estão em atividade] é favorecido no Hemisfério Norte no verão de 2018, com a chance de o El Niño ocorrer aumentam para cerca de 65% durante o outono e para cerca de 70% durante o inverno de 2018/19 [no hemisfério Norte], disse o Centro em sua previsão mensal.

Neste período, o Brasil deve estar iniciando o plantio da safra de grãos 2018/19, com culturas como soja, milho, arroz e feijão.

A atuação do fenômeno tende a deixar o inverno mais frio e tempestuoso em todo o sul dos Estados Unidos, chuvoso na Califórnia e mais quente no Noroeste do Pacífico e no Norte das Montanhas Rochosas. Na América do Sul, o Brasil pode ficar mais seco em algumas áreas, principalmente no Centro-Norte e mais úmido no Sul, enquanto que a Argentina pode ter mais chuvas.

Leia mais:
» Com presença de El Niño, safra de verão da Argentina deve ser 40% melhor

Anomalias médias da temperatura da superfície do mar (TSM) (° C) nas últimas semanas - Fonte: The Climate Prediction Center/NOAA
Anomalias médias da temperatura da superfície do mar (TSM) (° C) nas últimas semanas - Fonte: The Climate Prediction Center/NOAA

O El Niño é caracterizado pelo aquecimento das águas da superfície do oceano pacífico e a atmosfera reage. De acordo com informações da agência de notícias Bloomberg, o fenômeno climático  costuma causar impactos consideráveis nos mercados financeiros e de commodities.

"As condições agora são favoráveis ​​para o surgimento do El Nino em algum momento dos próximos seis meses", disse Michelle L'Heureux, consultora do Climate Prediction Center, para a Bloomberg. "A observação depende dessa palavra, 'favorável'. Estamos um pouco acima do limite que queremos ver para emitir um alerta."

Em 2015, um grande evento de El Niño prejudicou as produções de cacau, chá e café em toda a Ásia e África, além de favorecer incêndios florestais em Singapura e inaugurou o inverno mais quente já registrado nos Estados Unidos, sufocando a demanda de gás natural no país.

No mês passado, o Centro de Previsão Climática havia estimado as chances de o El Niño se instalar em 50% durante o outono e 65% durante o inverno [no hemisfério Norte].

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Mauro Costa Beber Condor - RS

    Estudei muito o clima nos últimos 35 anos. Neste 35 anos, de 1982 até 2017, em janeiro, tivemos 13 anos com La Niña, somente em 2 anos em dezembro do mesmo ano ocorreu um El Niño. 15 % de percentual de ocorrência. Este ano pode ser um deles. Melhor esperar mais tempo, pois nos últimos anos houveram muitos erros de previsão.

    5