HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Chuvas plantadeiras no Mato Grosso do Sul apenas em dezembro

Publicado em 21/11/2019 15:20 e atualizado em 21/11/2019 16:46
1375 exibições

LOGO nalogo

Apesar das previsões indicarem que a estação chuvosa já está se consolidando no Centro-Oeste, a situação no Mato Grosso do Sul é mais complicada e as chuvas mais volumosas só devem ocorrer durante a transição para o mês de dezembro. 

Segundo o produtor Tiago Rusafa, de Dourados/MS, após 20 dias sem chuvas na semana passada foram registrados volumes entre 25 e 30 milímetros, o que não é suficiente para que a soja continue se desenvolvendo e que o plantio seja concluído.

"Está tudo seco aqui, precisamos que chova pelo menos mais 50 milímetros para conseguir concluir o plantio. No ano passado, nesta época, eu já estaria com a safra 100% plantada", afirma. Por estar no início do plantio, produtores ainda não cosneguem falar em quebras da safra, mas assim como em outros pontos do país, a preocupação dos produtores é com o atraso na janela do milho safrinha. 

Os dados coletados pelas estações meteorológicas, confirmam que as poucas chuvas que aconteceram em outubro, não foram suficientes, o que configura um atraso de aproximadamente 50 dias para as chamadas chuvas plantadeiras. Os mapas indicam que houve predomínio de tempo seco e quente durante a primeira metade de novembro. Nas demais regiões do Centro-Oeste , o atraso foi de 40 dias. "Nos próximos  dias chove de maneira irregular e com altas temperaturas", afirma o meteorologista Tiago Robles, da Oráculo Meteorologia.

Segundo o agrônomo e professor Alencar Júnior Zanon da equipe FieldCrops da Universidade Federal de Santa Maria, do Rio Grande do Sul, a melhor forma do produtor se preparar para períodos de estiagem é investir nas condições do solo, para que ele consiga aumentar a capacidade de armazenamento de água. 

"Agora está crescendo a questão de cultura de cobertura, que é quando a gente aumenta o aporte de matéria orgânica no solo e com o tempo associado ao plantio direto, isso faz com que aumente a quantidade de água no solo e diminui os problemas de deficiência hídrica", aconselha. 

Ele reforça ainda que para os produtores que escolherem plantar "no pó", é importante que estejam atentos com a umidade do solo, com previsões de chuvas e de temperaturas. "Isso pode prejudicar e ocasionar danos na semente e consequentemente o pontencial produtivo da lavoura", comenta. 

Próximos dias 

No período entre 21 e 25 de novembro os mapas da Oráculo indicam que não há previsão de chuvas significativas paro Mato Grosso do Sul neste período.Os dados mostram ainda que as chuvas tendem a ficar concentradas no Mato Grosso, onde são previstas chuvas em todo o estado. Em alguns pontos são esperados volumes de até 50 milímetros de precipitação. Em Goiás, também são previstas chuvas entre 30 e 50 mm em todo o estado, sendo os maiores volumes esperados para área central. 

Entre 26 e 30 de novembro, a previsão indica que as chuvas devem avançar para o Mato Grosso do Sul, ficando os maiores volumes previstos para o Centro-Norte do estado. No mesmo período, as chuvas continuam expressivas no Mato Grosso e em Goiás, onde os volumes ficam entre 50 e 100 mm em todas as regiões. 

Já no período entre 1 e 5 de dezembro, os volumes ficam mais significativos em todo o estado do Mato Grosso do Sul, na região leste são esperados os volumes mais expressivos, entre 50 e 100 milímetros. No período, deve chover nas demais áreas, com volumes a partir de 20 mm. Também continuam previstas chuvas para o Mato Grosso e Goiás. 

Veja o mapa de precipitação em todo o Centro-Oeste: 

Centro-Oeste - Oráculo

Por: Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário