Emater Pará distribui sementes de feijão caupi para agricultores de Salinas

Publicado em 19/05/2020 11:12 72 exibições
A previsão é que a primeira colheita coincida com a pós-pandemia. Comercialização e consumo pelas próprias famílias ajudarão no enfrentamento do momento difícil

A partir desta quarta-feira (20), 40 famílias de agricultores de Salinópolis,  município do nordeste paraense famoso pelo turismo nas praias, receberão kits com sementes melhoradas de feijão caupi da variedade BRS Tracuateua e adubo, para plantio imediato. A ação é do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), o qual comprou 400 quilos de sementes de outros agricultores, do município vizinho Bragança, com o apoio de uma rede de supermercados da região, interessada na aquisição imediata da produção em Salinas. 

Consideradas as circunstâncias climáticas, o período ideal de plantio se encerra este mês, com a primeira colheita prevista para cerca de seis toneladas e meia no total, entre 70 e 90 dias. O provável, assim, é que a colheita coincida com a pós-pandemia, quando a situação socioeconômica padecerá profundamente impactada: assim, os agricultores usufruirão da garantia de mais um alimento natural à mesa e sobretudo do incremento de renda, pela comercialização para os supermercados, com lucro estimado pela Emater em até 70%. 

Estão sendo beneficiadas oito comunidades: Arapepo, Bandeira Branca, Galdina, Joacaia, Km 60, Paulino, São Bento e Santo Antônio do Urindeua. Cada família receberá 10 quilos de semente e 25 quilos de adubo, para plantio em 0,45 hectare. A logística de entrega será individualizada, com todos os cuidados de prevenção contra o novo coronavírus.

São famílias que, por tradição, já plantam feijão caupi, mas que, multiplicando o grão, e não a semente, sem a seleção e o cruzamento devidos, com o tempo amargaram uma perda considerável de qualidade genética da produção. Por meio de sementes diferenciadas e orientação científica, a Emater pretende recuperar índices como boa produtividade e melhores características do produto em si. Os agricultores também trabalham com plantio de mandioca e criação de pequenos animais (galinhas e porcos). Alguns são pescadores artesanais. 

A comunidade fornecedora das sementes, Nossa Senhora da Conceição, na rodovia PA-150, é atendida pelo escritório local da Emater em Bragança, que intermediou a transação, e participa de um programa de distribuição de sementes dos viveiros do Centro de Treinamento da Unidade Didática Agroecológica do Nordeste Paraense (UDB), espécie de laboratório e unidade de capacitação para extensionistas e parceiros institucionais. Quanto à mais de uma tonelada de adubo NPK,  foi adquirida em Nova Timboteua, pela oferta de menor preço.

“Podemos dizer que esta é uma ação interligada dos escritórios locais, no âmbito do escritório regional de Capanema, que beneficia ao mesmo tempo dois grupos de agricultores de ambos os municípios: os que receberão as sementes, para segurança alimentar e geração de renda, e os que venderam, que lucraram e tiveram seu trabalho prestigiado pelo Órgão do Governo do Estado que lhes atende de modo direto”, contextualiza o chefe do escritório local da Emater em Salinas, o engenheiro agrônomo Waldemiro Rosa Júnior, mestre em Ecologia.

Além disso, segundo ele, fortalecer a cadeia produtiva do feijão caupi no município “resulta no fortalecimento conseguinte da cultura alimentar, no resgate dos hábitos”, diz. 

Fonte:
Emater PA

0 comentário