Publicidade

Suínos: abate em Minas no primeiro semestre cresceu 13,2%

Publicado em 17/10/2012 14:55 278 exibições
Resultado foi o melhor da série histórica iniciada em 1997.
O volume de suínos abatidos em Minas Gerais, no primeiro semestre de 2012, aumentou 13,2% sobre idêntico período do ano passado, atingindo 206,9 mil toneladas. Este é o melhor resultado da série histórica iniciada em 1997, informa a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base em dados da Pesquisa Trimestral do Abate de Animais realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
Nos seis primeiros meses de 2012, Minas respondeu por 12,1% do volume de carne resultante do abate de suínos no Brasil. Na avaliação de crescimento do volume, o Estado superou o resultado médio do Brasil, que teve evolução de 5,3% com um volume de 1,7 milhão de toneladas.
 
De acordo com Márcia Aparecida de Paiva Silva, assessora técnica da Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea), o número de cabeças de suínos abatidas no Estado foi 4,8% superior ao registrado entre janeiro e julho do ano passado.
 
“O número de animais abatidos em Minas, entre janeiro e junho, foi de 2,1 milhões de cabeças, ou 11,7% do total registrado no país”, explica a assessora. 
 
Alta produtividade
 
Márcia Silva considera também relevantes os dados sobre o aumento do peso dos suínos abatidos no Estado. “Nos primeiros seis meses de 2012, a média foi de 100,1 kg/cabeça, peso 8,0% superior ao registrado no mesmo período de 2011. Comparativamente ao indicador brasileiro (96,9 kg/animal), o peso médio das carcaças mineiras é 3,4% superior”, acrescenta a assessora. 
 
Minas Gerais é o quarto maior Estado em volume de carne suína produzida, posicionando-se atrás de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, que ocupam as primeiras colocações com parcelas de 25,4%, 21,0% e 19,4%, respectivamente do volume nacional.
 
De acordo com Márcia Silva, o aumento dos níveis de produtividade é beneficiado pelo incremento do investimento na atividade, como melhoria da nutrição animal e das técnicas de manejo. Além desses diferenciais, o aumento do abate inspecionado cria boas perspectivas para a comercialização nos mercados interno e externo. “Os produtores podem usufruir de receitas crescentes, desde que compensem os custos da atividade com uma boa gestão”, assinala.     
 
Bovinos e frangos
 
No primeiro semestre de 2012, o abate mineiro de bovinos atingiu 1,1 milhão de cabeças, aumento de 7,8% em relação ao abate de igual período de 2011 (1,0 milhão de cabeças). O abate mineiro representou 7,5% do nacional, no primeiro semestre de 2012.
 
O volume total das carcaças abatidas passou de 237,0 mil toneladas para 260,1 mil toneladas, expansão de 9,7%. O incremento mais significativo no peso em relação ao número de animais abatidos mostra que o peso médio por animais aumentou, o que contribuiu para o maior nível de produtividade da indústria.
 
No setor de aves, o abate passou de 184,7 milhões de cabeças para 206,4 milhões de cabeças, crescimento de 11,8% e recorde para o período. O abate brasileiro praticamente manteve-se estável em 2,6 bilhões de cabeças, aumento de 0,2% em comparação com o primeiro semestre de 2011.
 
O volume total abatido em Minas foi de 406,0 mil toneladas, maior valor da série (desde 1997). Em relação aos primeiros seis meses de 2011, houve uma expansão de 4,6%. A participação mineira no volume nacional foi de 8,3%.
 
 
Abate de animais em MG – Jan/Junho 2012
Suínos
 
2,1 milhões de cabeças
(+4,8% que o registro de 2011)
11,7%  do total abatido no país
 
Volume: 206,9 mil toneladas (+13,2%)
12,1% do abate nacional
 
Produtividade: 100,1 kg/cabeça (+8,0%)
3,4% superior à média do país 
 
Bovinos
1,1 milhão de cabeças (+7,8%)
7,5% do abate nacional
 
Aves
206,4 milhões de cabeças (+11,8%)
7,9% do abate nacional
406,0 mil t (+4,6%)
7,0% do volume nacional
Tags:
Fonte:
Sec. Agricultura de MG

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário