Com novo selo, Brasil pode exportar frango mesmo em caso de surtos de gripe aviária

Publicado em 23/11/2016 06:40
63 exibições

A avicultura brasileira, líder mundial em exportações de carne de frango, conseguiu mais um avanço significativo na área de sanidade. Pela primeira vez no Brasil uma empresa do setor produtivo de aves recebeu o certificado oficial de Compartimento de Reprodução Livre de Influenza Aviária e da doença de Newcastle.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), concedeu o selo a três filiais da empresa COOB Vantress Brasil, em Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul, num processo que começou em 2008.

Significa que se o país sofresse um surto de gripe aviária, por exemplo, as unidades poderiam continuar produzindo e exportando, porque funcionariam como “ilhas de qualidade”, mesmo fora de uma área livre definida pelo governo.

“A venda de aves pelo Brasil é algo em torno de US$ 8 bilhões. Já pensou o Brasil sem esses US$ 8 bi na balança comercial, além dos impactos na cadeia produtiva interna? Queremos estimular outras empresas”, afirmou o ministro Blairo Maggi, durante a entrega. Duas outras empresas, a JBS e a BRF, estão no processo de adequação para conseguir a certificação.

O diretor-executivo da COOB para a América Latina, Jairo Arenazio, contou que a criação do sistema começou em 2006, quando foi definida a nova estratégia da empresa que previa que entre 30% e 35% dos negócios deviam vir do comércio exterior. “Naquele momento, verificamos que apesar de o Brasil ser considerado uma ilha sanitária no mundo, nós tínhamos que criar alguma metodologia que garantisse o trânsito internacional da produção”, pontuou.

Leia a notícia na íntegra no site Gazeta do Povo.

Fonte: Gazeta do Povo

0 comentário