Frango Vivo: Mercado encerra com recuo de preços em SP, SC, RS e PR, contrariando expectativas de reação

Publicado em 16/12/2016 17:23 72 exibições

Nesta sexta-feira (16), o mercado de frango vivo encerra a semana com desvalorizações em grande parte das praças de comercialização. Apesar das expectativas de recuperação diante da demanda das festas de final de ano, o cenário acabou não se concretizando nesta primeira quinzena do mês. As exportações também registraram desempenho fraco.

O balanço semanal de preços realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, aponta que a maior queda registrada ocorreu no Paraná e em Santa Catarina. Os valores médios praticados nessas regiões cederam 3,33%, com referência de negócios a R$ 2,90 pelo quilo do vivo.

No Rio Grande do Sul, a cotação média cedeu 1,67% nos últimos sete dias, fechando a R$ 2,95 por quilo. Já em São Paulo, que também registrou na semana anterior, encerra com negócios em R$ 3,00 pelo quilo e queda de 1,64%. Minas Gerais permaneceu com preços estáveis em R$ 3,30/kg. Veja no gráfico:

Segundo informações do analista da Safras & Mercado, Allan Maia, o fraco desempenho frustrou as expectativas do mercado em registrar altas nesta quinzena. “O momento agora é de expectativa para ver se o preço consegue sustentação até o feriado de Natal”, disse.

Além dos recuos dos preços nas granjas, o cenário também observado no atacado. O Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) explica que dentre as proteínas mais consumidas no país, a carne de frango é a única que está registrando desvalorizações neste período.

“Nessa época do ano o setor acaba tendo concorrência com outras carnes, como Chester e peru, agentes até esperavam certo desaquecimento no mercado de frango, mas muitos indicam que a redução na liquidez tem sido intensa”, apontam os pesquisadores do Centro.

A Scot Consultoria coloca que na semana, houve recuo de 1,63% no atacado na praça paulista, em que a carcaça está sendo comercializada em média a R$ 4,23 por quilo. Além disso, com a valorização do milho e das desvalorizações do frango no atacado e nas granjas, a relação de troca registrou piora. “Em Campinas (SP), o avicultor compra 4,74 quilos de milho com um quilo de ave, queda de 5,8% na semana”, explica o boletim.

Leia também:

» Preços do frango caíram na granja e no atacado

» Coreia do Sul ordena sacrifício de milhões de aves para combater gripe aviária

» No 3º trimestre de 2016, abate de suínos e produção de ovos são recordes, diz IBGE

» Produção de ração no Brasil fica estável em 2016 com impacto da escassez de milho

» ABPA: Números e previsões para a avicultura e a suinocultura em 2016

Custos de produção

Nesta semana, a Embrapa Suínos e Aves divulgou os índices de custo de produção de novembro, que anotou recuo no período. No mês o índice ICPFrango/Embrapa anotou 210,82 pontos, caindo 0,48% na comparação com os dados de outubro.

Porém, no ano foi acumulada alta de 62,09%, enquanto que nos últimos doze meses a valorização é de 60,88 %. O cenário é reflexo da forte alta do milho no ano, devido à escassez do cereal no mercado interno influenciado pela alta do dólar – que favoreceu as exportações.

IBGE

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou os dados de abates de frango referentes ao terceiro trimestre de 2016. No período, foram abatidas 1,47 bilhão de cabeças de frangos, registrando desempenho menor do que o ano passado e o trimestre anterior.

Em comparação ao segundo trimestre, os abates diminuíram 1,5%, enquanto que no mesmo período de 2015 a queda é de 2,1%. Os estados que mais tiveram participação foram Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Exportações

Os embarques têm registrado ritmo lento no início de dezembro para a carne de frango in natura, segundo aponta dados reportados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) nesta semana. Nas primeiras semanas do mês foram exportadas 103,8 mil toneladas.

A média diária é de 14,8 mil toneladas, o que representa acréscimo de 1,3% na comparação com novembro, mas recuo de 9,9% em relação ao mesmo período de 2015. Já em receita, a soma é de US$ 155,0 milhões, sendo o valor por tonelada em US$ 1.493,4.

Apesar disso, o cenário é favorável para as exportações de frango no ano. Segundo informações reportadas pela ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal). De janeiro a novembro, os embarques de carne de frango atingiram 4,022 milhões de toneladas, atingindo alta de 3% na comparação com 2015. Com isso, a entidade projeta que as exportações possam encerrar o ano com valorização de 2%.

» Clique e confira a cotação na íntegra para o frango

Por:
Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário