Número de animais eliminados pela peste suína aumenta para 6,69 milhões, aponta FAO

Publicado em 15/10/2019 10:50 483 exibições

LOGO nalogo

Segundo informações divulgadas pelo Broadcast Agro nesta terça-feira (15), a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) apontou que o número de suínos abatidos por conta da peste suína africana, subiu para 6.692.399 nos países asiáticos. 

O número representa um aumento de 414.000 animais em relação ao levantamento divulgado anteriormente pela FAO, no dia 3 de outubro. Os dados da organização foram atualizados até a última quinta-feira, dia 10. 

A organização explicou ainda que o o balanço da entidade compila informações extraídas dos órgãos federais dos países - por isso, o levantamento diverge de estimativas do mercado.

A alta nos números aconteceu principalmente pelo aumento de casos no Vietnã, que passou de 5 milhões para 5,4 milhões de animais eliminados. "É a pior condição quanto ao volume de animais levados ao abate sanitário", afirma o Broadcast. Neste país, segundo o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural local, a epidemia da PSA já atingiu 63 províncias, desde o primeiro relato da doença em 19 de fevereiro. 

Segundo a FAO, 61 novos focos da doença foram detectados no continente asiático. Sendo 47 no Laos, nove na Coréia do Sul e cinco nas Filipinas. Com a atualização, a FAO estima 530 focos da doença espalhados pela Ásia, ante 469 do relatório anterior da organização.

No caso do Laos, a doença atingiu mais três províncias e cerca de 14 mil animais foram abatidos. Desde a detecção da epidemia em junho, 141 focos foram identificados em 17 províncias e 39 mil animais foram eliminados. 

Segundo o Ministério da Agricultura, Alimentação e Assuntos Rurais da Coréia do Sul, até o momento duas cidades foram atingidas pela doença, com 14 focos dectados e 39,1 mil animais eliminados. 

Nas Filipinas os novos casos da epidemia foram reportados nas províncias de Pampanga e Pangasinan. Desde 25 de julho deste ano, quando o Departamento de Agricultura local confirmou o primeiro caso, foram eliminados 37 mil suínos.

Em países como a China, Coréia do Norte, Mongólia, Camboja, Mianmar e Timor Leste, os números não foram alterados em comparação com o relatório anterior. Ainda assim, a situação mais crítica, em termos de extensão, continua sendo a China. 

O país asiático tem 158 focos em 32 províncias, incluindo também a região administrativa de Hong Kong. Desde a identificação do surto, em agosto do ano passado, 1,17 milhão de suínos foram eliminados, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do país.

>>> Peste suína leva à criação de porcos gigantes na China

No Camboja a doença foi identificada em 2 de abril e desde então 2,85 mil animais foram abatidos. Mongólia teve o primeiro caso registrado em 15 de janeiro e contabiliza 11 surtos notificados, levando à eliminação de 3.115 animais, o número representa mais de 10% do plantel do país. 

Em Mianmar, desde que o primeiro caso foi detectado pelo governo local em 1º de agosto, a epidemia atingiu aldeias da província de Shan State com quatro focos e já levou ao abate sanitário 163 animais. No Timor Leste, desde que o primeiro caso foi confirmado em 27 de setembro na capital do país, Dili, 100 focos foram identificados e 405 animais sacrificados.

A Coreia do Norte continua com apenas um foco da doença, que foi identificado no dia 23 de maio. No país cerca de 77 animais foram abatidos desde então. 

OIE identifica 507 novos focos da peste suína africana; 330 foram notificados na Europa

Entre 27 de setembro e 10 de outubro foram dectados 507 novos focos da peste suína africana. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (15) pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). De acordo com o mais recente relatório, deste montante 330 foram notificados na Europa. 

Com a nova atualização, a OIE estima agora que há 9.491 surtos da PSA em andamento, considerando todos os continentes contaminados. A maioria dos casos estão concentrados no Vietnã, que corresponde a 6.083 dos casos. 

A organização afirmou ainda que a China não constatou novos casos neste período. No levantamento anterior, 355 surtos foram verificados como novos, enquanto 9.280 casos estavam em andamento.

Segundo a OIE, até o momento 22 países notificaram novos surtos ou focos em andamento, na Europa os casos foram registrados na Bulgária, Hungria, Letônia, Moldávia, Polônia, Romênia, Rússia, Sérvia, Eslováquia e Ucrânia.

Na Ásia, China, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Laos, Mianmar, Filipinas, Rússia, Vietnã e Timor Leste foram identificados novos surtos da epidemia. Já na África, casos foram detectados na Costa do Marfim, Quênia, África do Sul e Zimbábue.

Leia também: Preços da carne suína na China, já em nível recorde, devem subir mais e mais rápido

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário