Curva sazonal de preços ressalta fraco desempenho do frango abatido

Publicado em 25/05/2020 08:23 33 exibições

O fraquíssimo desempenho do frango abatido nos últimos dois meses é ainda mais ressaltado quando sua evolução de preço em 2020 é comparada à curva sazonal - neste caso, o comportamento médio observado nos 20 anos transcorridos entre 2000 e 2019.

Mesmo a curva sazonal apontando que no bimestre abril/maio são registrados, normalmente, os menores preços de cada exercício, é impossível ignorar que em maio corrente os preços registrados atingiram (pelos padrões considerados) o menor índice de todos os tempos.

Demonstrando, o mínimo até agora registrado foi um valor correspondente a 82,7% da média do ano anterior. Mas neste mês (ainda não encerrado), a média registrada (R$3,48/kg) equivale a 81,9% do preço médio alcançado em 2019 (perto de R$4,25/kg).

Esse desempenho – é natural concluir – resulta apenas dos desdobramentos da pandemia, porquanto no primeiro trimestre do ano os preços alcançados acompanharam muito de perto a curva sazonal. Assim, comparativamente à média de 101,87 pontos registrada pela curva sazonal no primeiro trimestre dos passados 20 anos, a média do primeiro trimestre de 2020 ficou em 101,29 pontos – apenas 0,58 ponto a menos.

Porém, quando tomado como base de comparação apenas o bimestre abril/maio, o índice deste ano cai de forma significativa. Pois, frente à média de 97,87 pontos em duas décadas, alcança em 2020 somente 82,75 pontos, quer dizer 15,12 pontos (ou 15,4%) a menos.

Mesmo não estando imune aos percalços do mercado, o frango vivo registra perdas menores. Pela curva sazonal (neste caso abrangendo espaço de tempo mais amplo – 25 anos) alcança na média dos primeiros cinco meses do ano índice de preço correspondente a 99,66 pontos – apenas 0,34 ponto a menos que o valor médio do ano anterior. Em 2020 (e até aqui) seu preço médio (cerca de R$3,08/kg) corresponde a 94,50 pontos, 5,5 pontos a menos que o valor médio registrado em 2019 (cerca de R$3,26/kg).

Embora a distância seja relativamente pequena, zerar essa diferença no primeiro semestre é possibilidade descartada, pois, para tanto, o frango vivo precisaria ser comercializado em junho por valor superior a R$4,00/kg, mais de um terço acima da cotação ora vigente (R$3,00/kg).

Porém, não parece impossível alcançar o valor apontado pela curva sazonal – 103,2 pontos – pois isso representa valorização de 12%-13% em relação à cotação atual, perspectiva plenamente viável frente à redução que vem se ampliando dia a dia.

Notar, de toda forma, que ainda assim a cotação média do mês será inferior à registrada um ano atrás, em junho de 2019 (R$3,44/kg).

Tags:
Fonte:
AviSite

0 comentário