Justiça do trabalho obriga Seara/JBS de Ipumirim (SC) a garantir distância de 1,5m entre funcionários

Publicado em 28/05/2020 17:02 e atualizado em 29/05/2020 07:08 302 exibições
TRT emitiu liminar que impõe o distanciamento, também obriga que a empresa aplique medidas de busca ativa da Covid-19 entre funcionários; planta está fechada desde o dia 18

LOGO nalogo

A Justiça do Trabalho de Concórdia, em Santa Catarina, emitiu decisão liminar que obriga a unidade da Seara/JBS de Ipumirim a garantir o distanciamento entre os funcionários da planta em, no mínimo, 1,5m. A planta está com as atividades temporariamente suspensas desde o dia 18, após vistoria da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho, que identificou graves irregularidades relacionadas, sobretudo, à ausência de distanciamento seguro entre os empregados na linha de produção e à inexistência de medidas efetivas de controle epidemiológico.

Conforme a decisão, a empresa deverá afastar todos os trabalhadores diagnosticados ou com suspeita de contaminação pela Covid-19, ainda que assintomáticos, sem prejuízo da remuneração, até a realização de exame específico, seguindo os protocolos das autoridades sanitárias ou pelo período mínimo de 14 dias. 

A medida também vale para os trabalhadores sintomáticos de síndrome gripal e aos que tenham tido contato direto com um trabalhador diagnosticado ou com suspeita de contaminação pelo coronavírus em um raio mínimo de 1,5 metro, ainda que sem sintomas da doença.

O QUE DIZ A JBS

"A JBS informa que a saúde de seus colaboradores é sua prioridade absoluta. Desde o início da pandemia no Brasil, a empresa tem adotado um rigoroso protocolo para garantir a segurança e proteção dos seus colaboradores em suas unidades. Todas as ações e medidas adotadas seguem as orientações dos órgãos de saúde, dos Ministérios de Saúde, Agricultura e Economia, além das recomendações dos governos estaduais e municipais. Adicionalmente, para apoiar na construção do seu protocolo, a JBS contratou a consultoria clínica do Hospital Albert Einstein e do infectologista Adauto Castelo Filho. A empresa reitera sua confiança na segurança do seu protocolo para proteger seus colaboradores e informa que não irá comentar processos judiciais em andamento".

 

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário