MPT do Paraná pede suspensão temporária de atividades de frigoríficos da Coopavel

Publicado em 08/06/2020 08:33 1388 exibições
De acordo com o órgão, até sexta-feira (5), a cooperativa era a segunda empresa do ramo frigorífico do Estado do Paraná com mais casos confirmados de Covid-19, 118 no total

LOGO nalogo

Na última sexta-feira (5), o Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT-PR) ingressou com Ação Civil Pública pedindo o afastamento imediato de funcionários e terceirizados dos frigoríficos Friaves e Frisuínos, da Cooperativa Agroindustrial de Cascavel (Coopavel), por, no mínimo, 14 dias. Segundo o MPT-PR, o motivo para o pedido é o alto número de casos de Covid-19 entre os trabalhadores que, de acordo com relatórios técnicos produzidos pelos órgãos de fiscalização, estão relacionados a falhas na adoção de procedimentos de prevenção à disseminação da doença.

O MPT descreve no documento que a Cooperativa não estaria mantendo o distanciamento dos colaboradores de, no mínimo, 1m ombro a ombro nas linhas de produção e em áreas comuns, como vestiários. Além disso, a Coopavel não estaria promovendo a busca ativa de casos, monitoramento diário da saúde dos trabalhadores oi notificação imediata de casos suspeitos ou confirmados da Covid-19 à Secretaria de Saúde de Cascavel e do Estado do Paraná.

Entre os pedidos, está o afastamento de todos os funcionários por ao menos 14 dias e, a partir do 10º dia, a Cooperativa deve realizar testes para diagnosticar a doença nos colaboradores. Além disso, o MPT requer a disponibilização de equipamentos de peroteção individual aos funcionários, adequação do espaço de trabalho e implantação do distanciamento entre pessoas.

O órgão estipula multa diária de R$ 50 mil para cada pedido descumprido, e pede também à Justiça do Trabalho pagamento de indenização por dano moral coletivo em valor não inferior a R$ 4 milhões. 

A Coopavel foi procurada pelo Notícias Agrícolas para se pronunciar a respeito da situação, mas a assessoria de imprensa informou que não há um posicionamento.

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Geraldo Emanuel Prizon Coromandel - MG

    Multinha de nada, só R$ 4.000.000,.....coisa àtoa.... Em que mundo vivem esses senhores? No mundo das fantasias.., do faz de conta..., só pode! E, se perderem a ação? fica por isso mesmo, não são responsabilizados?.

    1
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Sr. Geraldo, é disso que tenho reclamado há anos aqui, cade a FPA, a bancada que define qualquer votação na câmara dos deputados???, como é que não agem contra um poder praticamente ilimitado?? (se bem que foram eles mesmos que deram esse poder ao MPT).... São eles que votam as leis. Produtor é um ingênuo que confia em sujeitos como Alceu Moreira, picareta de marca maior.

      3
    • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

      O Ministério Público já passou dos limites, é necessário um corte nas suas assas. Pior é que em média esses promotores faturam por ano perto de R$-1.000.000,00 ... 80 ... 100 mil por mês, ... ai vivem achando que a vida é fácil para todos.

      1