Ao suinocultor, todas as homenagens

Publicado em 24/07/2020 15:36 52 exibições
No Dia do Suinocultor, a Zoetis reúne histórias de alguns personagens que contribuem para o desenvolvimento dessa atividade no Brasil

Chegar aos postos de o quarto maior produtor e o quarto maior exportador de carne suína do mundo não se deu da noite para o dia. Alcançar esse status foi fruto de um longo processo de desenvolvimento que envolveu transformações tecnológicas, técnicas de produção intensiva, biosseguridade, sanidade, genética etc. “Esses avanços na produção de suínos aqui no Brasil estão diretamente relacionados à sanidade e ao desenvolvimento de vacinas bem como à adoção de novas tecnologias direcionadas à atividade”, diz o médico-veterinário Dalvan Veit, Gerente Técnico de Suínos da Zoetis.

A Gerente de Produtos, Cintia Santos, lembra que, como o progresso aconteceu em todas as áreas – produção, industrialização e comercialização –, a qualidade da carne produzida aqui também é um ponto a ser ressaltado. “A alimentação dos suínos é de alto padrão, o manejo segue rigorosas normas humanitárias e de bem-estar, e a sanidade é gerenciada de maneira criteriosa, o que garante melhor qualidade da carne”, avalia.

Todas essas mudanças aconteceram graças ao trabalho e ao esforço de um importante ator nessa cadeia de produção – o suinocultor. E é a ele que a Zoetis presta sua homenagem hoje, em seu dia, trazendo depoimentos de quem vive no dia a dia os desafios e os progressos da atividade.

Suinocultor desde a década de 1980, Losivânio Luiz de Lorenzi, Presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos, em Concórdia (SC), fala um pouco sobre sua história na suinocultura: “Tenho muito orgulho de estar à frente dessa entidade, de ser suinocultor e de poder trabalhar em prol da melhoria no campo para uma atividade tão importante. Ser suinocultor já não é mais para amador e todos que estão na atividade sabem do profissionalismo que é preciso ter para produzir uma proteína animal de excelência”, declara.

Para Dirceu Zotti, da Lar Cooperativa Agroindustrial, em Medianeira (PR), “a atividade significa oportunidade, aprendizado, trabalho em equipe e empreendedorismo”. “Aprendi que podemos melhorar a vida das pessoas que estão conosco constantemente. Temos uma grande missão, que é alimentar grande parte da humanidade com o que fazemos todos os dias”, comenta o suinocultor.

A suinocultura já fazia parte da vida da médica-veterinária Luana Bombana antes da sua graduação, por ser filha de produtores. “Tenho muito orgulho e admiração pelos suinocultores, que estão sempre prontos, a postos para fazer o melhor, mesmo diante das adversidades”, diz.

Assim como a Luana, a história da administradora de empresas Débora Cançado Melo Franco também começou com seus pais, que há 30 anos fundaram a SB AGRO Negócios. “Há quatro anos eu me reinventei. Saí do ramo da tecnologia, onde eu era executiva de projetos, e assumi um novo desafio – administrar as empresas do Grupo junto à minha família. Tenho certeza de que foi a decisão mais assertiva que tive. Temos muito orgulho de estar nesse ramo. Eu me orgulho muito de ser suinocultura”, relata.

Localizada em Campo Grande (MS), a Granja Rancho Alegre é liderada por Eleiza Moraes Machado. “Eu administro a empresa há 15 anos com muito amor e carinho. A suinocultura é a minha vida”, confessa.

Trabalhando no setor há 22 anos, o médico-veterinário e também suinocultor Celso Philippi Jr., da Granja Colorada, em Jatei (MS), finaliza dizendo o que é a suinocultura para ele: “É um sonho. Meus avós já criavam suínos há 60 anos, então, tenho isso no sangue. Além de um sonho, é uma paixão”.

Tags:
Fonte:
Zoetis

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário