Exportação de carne suína em julho tem o segundo maior volume do ano, passando das 90 mil toneladas

Publicado em 03/08/2020 15:56 e atualizado em 03/08/2020 16:48 920 exibições
Quantidade da proteína exportada só perde para o volume embarcado em maio; toneladas e faturamento ficaram acima do que foi exportado em julho do ano passado

LOGO nalogo

O volume de carne suína embarcada no mês de julho foi o segundo maior do ano de 2020, chegando às 90.221,993. A quantia só ficou atrás do montante atingido no mês de maio, 90.722,1 toneladas. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, e estão dentro do esperado pelo analista da Agrifatto Consultoria, Yago Travagini.

De acordo com ele, "a China vem comprando bastante carne nuína do Brasil e dos Estados Unidos, se abastecendo e fazendo estoques por causa da crise com a Peste Suína Africana (PSA)". 

As 90.221,993 toneladas exportadas em julho deste ano são 46,73% superiores ao volume embarcado no mesmo mês do ano passado, 61.486,221 toneladas. As toneladas por média diária embarcada suína, 3.922.695 até o final do mês, são 46,74% maiores do que as 2.673.313 registradas em julho de 2019. 

O faturamento nos 23 dias úteis de julho com as exportações de carne suína foi de US$ 191.569.043, cerca de 36,12% a mais do que foi a receita com a venda do produto em julho de 2019, que foi de US$ 140.734.932. 

A média diária paga pela carne suína exportada no começo deste mês foi de US$ 8.329.088, quantia 36,12% superior ao valor de US$ 6.118.910, praticados no mesmo mês do ano passado. 

Em relação ao preço pago por tonelada, o recuo em julho está estimado em 7,23%, quando comparados os US$ 2.123.307 praticados atualmente contra os US$ 2.288.885 no mesmo mês do ano passado.

Conforme o analista explica, o faturamento com a exportação de carne suína está avançando, mas por causa do câmbio, os importadores conseguem negociar os preços em uma tentativa de baixar os valores.

"Apesar do recuo no valor pago por tonelada em dólar, quando converte para real, a conta vale a pena. Gera uma receita bem melhor do que os valores que eram vistos anteriormente, considerando uma média de R$ 5,20 o dólar, resultaria em uma rentabilidade de cerca de R$ 1 bilhão", afirmou.

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário