Exportação de carne suína supera em 27% volume e receita de agosto/19, e pode bater recorde para o mês

Publicado em 24/08/2020 16:56 300 exibições
Apesar de boas perspectivas para agosto, analista explica que o recorde para o ano, estabelecido em maio, não deve ser batido, já que há menos dias úteis neste mês

LOGO nalogo

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, nos primeiros 15 dias úteis de agosto, as exportações de carne suína já superaram em mais de 27% tanto a receita quanto o volume embarcado em agosto de 2019 inteiro. 

O faturamento nos primeiros 15 dias úteis de agosto com as exportações de carne suína foi de US$ 139.435.367, cerca de 27,78% a mais que a receita com a venda do produto em agosto de 2019, que foi de US$ 109.114.071. 

As 62.378,398 toneladas exportadas por enquanto superaram em 27,29% o volume embarcado no mesmo mês do ano passado, 49.003,544 toneladas.

"Houve uma retração na variação semanal de 8% na média diária embarcada, mas ainda assim é um número muito bom que quase dobra a média de agosto/19 e é melhor que julho/20", disse o analista da Agrifatto Consultoria, Yago Travagini.

A média diária paga pela carne suína exportada no começo deste mês foi de US$ 9.295.691, quantia 87,42% superior ao valor de US$ 4.959.730, praticados no mesmo mês do ano passado. 

As toneladas por média diária embarcada suína, 4.158.559 até o final da primeira quinzena do mês, são 86,70% maiores do que as 2.227.433 registradas em agosto de 2019. 

Em relação ao preço pago por tonelada, o aumento em agosto está estimado em 0,39%, quando comparados os US$ 2.235.314 praticados atualmente contra os US$ 2.226.656 no mesmo mês do ano passado.

Para ele, a expectativa é de que as exportações neste mês de agosto chegue às 85 mil toneladas, mas que mesmo com o bom ritmo, não deve bater o recorde para o ano, estabelecido com as 90,7 mil toneladas em maio, já que o mês atual tem menos dias úteis.

"Entretanto, até novembro deste ano deveremos chegar à casa das 100 mil toneladas, já que a China está importando bastante em preparação para as festividades do ano novo chinês".

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário