Rabobank: mercado de frango deve ficar mais volátil neste fim de 2020 e início de 2021

Publicado em 18/09/2020 11:20 105 exibições

Passando para o quarto trimestre e para o início de 2021, a indústria global de carne de aves deve operar em um contexto de maior volatilidade de mercado, com pressão vinda do setor de foodservice e do mercado de atacado, conforme aponta o Rabobank em relatório publicado nesta quinta-feira (17). Possíveis novos surtos de Covid-19 deve adicionar mais altos e baixos ao mercado , e o impacto de uma profunda crise econômica deve fazer com que os mercados sejam mais direcionados pelos preços. 

Durante todo o ano, o Rabobank espera um leve avanço na produção global de frango, 0,8% na comparação com 2019, principalmente como resultado da expansão da avicultura na China e no Vietnam - locais onde a Peste Suína Africana (PSA) reduziu planteis suínos - e também nos Estados Unidos. Nos restante do mundo, o Rabobank aponta que deve haver um encolhimento da produção. 

O comércio global se tornou mais complicado, com os maiores importadores reduzindo os volumes. Negócios com países afetados pela PSA, como a China, Filipinas e Vietnam se tornaram mais importantes, e isso aumenta os riscos enquanto a produção local se recupera. 

Países exportadores, como o Brasil, Estados Unidos e Rússia estão focados na China, com volumes embarcados aumentando rapidamente, mas com preços cedendo. 

"O principal desafio para os produtores em mercados tão voláteis será balancear a oferta e a demanda, e a experiência neste ano de 2020 mostrou o quanto isso é disícil", informa o relatório.  

No Brasil, a expectativa de menores preços para a ração no segundo semestre, principalmente devido a finalização da colheita da segunda safra de milho, não foi confirmada e o mercado futuro sinaliza preços em movimento de alta ainda superiores no primeiro semestre de 2021. Segundo o banco, o farelo de soja iniciou o ano com preços mais baixos, mas registrou contínua valorização mês a mês e, como resultado, os preços da ração estão subiram 37% no acumulado do ano. 

Por outro lado, os preços do frango vivo e da ave no atacado que estavam pressionados no final do primeiro trimestre estão em recuperação. Em agosto, o preço da ave viva bateu recorde, subindo 18% na comparação com o mesmo mês no ano anterior, enquanto o frango no atacado ficou com valor 10% acima no mesmo período. 

As exportações para a China continuam em bom ritmo, com avanço de 29% no volume embarcado em julho no acumulado do ano. Apesar disso, com a queda de 13% nas vendas para a Arábia Saudita e 2% para o Japão, o total dos embarques no mesmo período foi apenas 0,4% maior, com o mercado chinês representando 17% das vendas. O feriado do Dia Nacional da China em outubro deve dar suporte aos embarques nas próximas semanas. 

Para os próximos meses, a lucratividade com a produção vai estar diretamente ligada com as estratégias para lidar com os custos da alimentação dos animais segundo os analistas do Rabobank. Isso porque os grandes players já se anteciparam para aproveitar o momento de preços melhores dos insumos, ao contrário dos produtores independentes que estão focados no mercado doméstico e mais expostos às variações de valores.

Vale lembrar que a recente confirmação da continuidade do auxílio emergencial do Governo Federal à população, mesmo com valor reduzido, não deve derrubar os níveis de consumo. Assim, o Rabobank mantém a projeção de 0,5% na produção de carne de frango brasileira neste ano. 

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas e Rabobank

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário