Exportação de carne de frango tem bom resultado no início de maio, ainda sem impacto de embargo saudita

Publicado em 10/05/2021 18:40 273 exibições
Analista aponta que suspensão da Arábia Saudita à 11 frigoríficos brasileiros ainda não impactou as exportações, mas pode abalar reputação junto a outros importadores

LOGO nalogo

De acordo com informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, divulgadas nesta segunda-feira (10) os resultados das exportações de carnes de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas nos primeiros cinco dias úteis de maio

Segundo o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o resultado nesta primeira semana do mês foi positivo, mas é preocupante o fato da Arábia Saudita, o segundo maior comprador da proteína brasileira, ter suspendido a habilitação de 11 plantas frigoríficas. 

+ Suspensão de frigoríficos pela A. Saudita pode prejudicar preços do frango no Brasil e abalar reputação no mercado externo

+ Arábia Saudita reduziu pela metade o número de frigoríficos de aves brasileiros habilitados

+ Câmara Árabe-Brasileira aponta possível pressão da avicultura saudita para suspensão de frigoríficos do BR

"A partir do dia 23 de maio a suspensão deve passar a valer, então, por enquanto, a gente não vê o impacto desta medida. Até lá, é possível que isso se esclareça e que o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) possa reverter essa questão. Mas preocupa também a possibilidade de a reputação da carne de frango brasileira ser afetada junto a outros parceiros comerciais", disse.

A receita obtida com as exportações de carne de frango neste início de maio, US$ 173.146,508, representa 34,6% o total obtido em todo o mês de maio de 2020, que foi de US$ 499.026,532. No caso do volume embarcado, as 113.813,732 toneladas são 30,5% do total exportado em maio do ano passado, que foi 372.373,801 toneladas. 

O faturamento por média diária foi de US$ 34.629,3016, quantia 38,79% maior do que maio do ano passado. Em comparação à semana anterior, houve altade 26,4%.

No caso das toneladas por média diária, foram 22.762,7464, avanço de 22,26% no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Quando comparado ao resultado para o quesito na semana anterior, observa-se aumento de 25,4%.

Já o preço pago por tonelada, US$ 1.521,314, foi 13,52% superior ao praticado em maio do ano passado. Em relação ao valor registrado na semana anterior, houve leve alta de 0,7%.

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário