Investimento em alimentação garante produtividade de leite

Publicado em 08/06/2011 08:25 130 exibições
A chegada da entressafra muda a rotina de muitas propriedades. Em Goiás, por conta da falta de pasto, a tendência é cair a produção.
Na pequena propriedade no município de Bela Vista, a 40 quilômetros de Goiânia, o produtor Eliude da Silva tem 35 vacas em lactação. A vacada foi fechada há cerca de um mês, quando parou de chover em Goiás e o pasto secou.

Em outros anos, o período da entressafra significava queda na produção, mas hoje a história é outra. A produção superou a média da fazenda e ainda cresceu pouco mais de 20%. “Normalmente tiramos 500 litros por dia e hoje, na época da entressafra, onde a gente entra com alimentação mais apropriada, a produção está em torno de 700 litros”, garante o produtor.

Mas a silagem de milho, que faz aumentar a produção, aumenta também o custo. A conta é bem simples: na época das águas quando tem pastagem, os gastos na propriedade para alimentar as 35 vacas que estão produzindo ficam em torno de R$ 1 mil. Já com a silagem de milho são gastos R$ 6 mil.

Em outra propriedade, também no município de Bela Vista, a silagem está sendo preparada. O pecuarista Sandro Potenciano tira 1.800 litros de leite por dia. Ele conta que para produzir um litro de leite, está gastando R$ 0,75 centavos, mas o preço recebido compensa. “Estou vendendo o leite por R$ 0,95 o litro, a lucratividade até que é boa e dá para manter os negócios”.

Em Patos de Minas, região do Alto Paranaíba, a entressafra também mexeu com o volume de captação de leite. Em média, a cooperativa recebe 260 mil litros de leite por dia, mas agora está recebendo 240 mil, queda de 8% .

Tags:
Fonte:
Globo Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário