Feijão tem alta de 73% nos últimos dez dias

Publicado em 16/09/2010 16:30
727 exibições
O preço da saca de 60 quilos de feijão aumentou de R$115 para R$200 nos últimos dez dias. A valorização foi de 73,91%. A alta foi mais significativa essa semana, quando o preço da saca aumentou R$68 (de R$ 132 na segunda, 13, para R$200 nesta quarta, 15). Uma variação de mais de 51% em apenas dois dias.

Segundo o Instituto Brasileiro do Feijão (Ibrafe), diversos fatores contribuíram para esse cenário de alta. Um dos motivos é a diminuição da área plantada, devido ao desestímulo do governo que, no começo do ano, não comprou dos produtores todo o feijão que sobrou na safra passada. Assim, eles resolveram plantar menos, para não correr o risco de ter prejuízos. Agora, o clima não tem ajudado: a seca no nordeste e no interior de São Paulo e excesso de chuva no sertão da Bahia, no último mês, comprometeram boa parte da safra nacional de feijão.

Para Marcelo Eduardo Lüders, operador de mercado há mais de 20 anos, esta alta pode chegar à patamar históricos. Raras vezes nos últimos dez anos houve uma alta tão continuada como nesses últimos dez dias, conta.

Além disso, não há previsão de entrada de feijão em grande volume no país pelo menos nos próximos meses. Qualquer variação negativa nos preços será apenas temporária, argumenta Lüders, acrescentando: Essa valorização irá refletir no bolso do consumidor, que deverá pagar mais pelo quilo do grão nas prateleiras dos supermercados.

LEILÕES - Apesar dos boatos de que os preços vão baixar depois do leilão de venda de feijão - anunciado pelo governo essa semana -, A expectativa do Ibrafe é que a alta continue. Segundo o órgão, o feijão leiloado pelo governo não atende o público mais exigente, já que, por estar estocado há alguns meses, está mais escuro do que o consumido normalmente. Assim, é provável que continue faltando grão para suprir a demanda do mercado.

CLIMA - Outro fator importante é o fenômeno La Niña. As previsões do tempo e comentários dos especialistas prometem uma forte variação climática que pode interferir no plantio do feijão nas próximas safras.
Tags:
Fonte: Só Notícias

Nenhum comentário