Trigo sobe mais 42,25 cents em Chicago nesta quarta-feira, totalizando 105,75 cents em dois dias

Publicado em 14/07/2011 07:24 e atualizado em 14/07/2011 08:29 254 exibições
Nos últimos dois dias as cotações do mercado de trigo subiram 105,75 cents, como reação ao relatório do USDA, que previu estoques mundiais menores de mais de 2 milhões de toneladas. A cotação de setembro fechou a 714,25 nesta quarta-feira, em alta de mais 42,25 cents/bushel. O mercado se beneficiou também da queda do dólar nos dois últimos dias, com uma melhora geral em toda a economia e dos dados positivos do relatório de oferta e demanda divulgado pelo USDA na última terça-feira. O trigo também foi favorecido pela elevação das cotações do milho, que subiram em função as preocupações com a onda de calor que ameaça se aproximar e pelas declarações do presidente do Fed de que não iria rolar a QE3 que deu grande impulso às bolsas de ações e de commodities.

Trigo: Mercado fecha quarta-feira em alta na CBOT com ganhos do milho e baixa do dólar

Os preços do trigo voltaram a registrar forte alta na bolsa de Chicago. Ontem, os contratos para setembro subiram 42,50 centavos, para US$ 7,1450 por bushel. Em Kansas, o mesmo vencimento subiu 29 centavos, para US$ 7,6229 por bushel. Segundo analistas ouvidos pela Bloomberg, a especulação de que o Fed vai voltar a injetar dinheiro para aquecer a economia movimentou os mercados de commodities como um todo. A alta da soja e, principalmente do milho, também influenciou os preços do cereal. Na terça-feira, as cotações do trigo já haviam reagido ao corte nas estimativas do USDA para os estoques de passagem americanos. No Brasil, o preço médio pago ao produtor do Paraná caiu 0,41%, a R$ 489,67 por tonelada, de acordo com o Cepea/Esalq.

Tags:
Fonte:
Trigo & Farinhas/Valor Econômico

0 comentário