Trigo: Colheita no Paraná ainda incipiente, qualidade é o problema

Publicado em 01/09/2011 19:11 607 exibições
Trazemos hoje comentários acerca do acompanhamento de cultivos do trigo no Paraná e a síntese das conversas junto a agentes de mercado da originação do trigo.
 
Com relação ao avanço da colheita, segundo a secretaria de agricultura do Estado do Paraná, tivemos avanço modesto esta semana, com apenas 4 pontos percentuais acima do já realizado na semana anterior, tendo agora 8% da superfície estimada já colhida, equivalente a 81 mil hectares. As chuvas no Oeste devem atrasar o avanço da perda de umidade a campo, algo bastante restritivo neste período do ano. Os estágios da cultura  mostram que atualmente 18% dos cultivos ainda estão em fase de desenvolvimento vegetativo, 13% em floração, 34% em enchimento de grãos e já 35% em fase de maturação mostrando que nas próximas semanas, se o clima auxiliar, teremos importante incremento na oferta de trigo. As condições destes cultivos mostram que houve alguma melhora, sobretudo naqueles ainda em desenvolvimento após as últimas chuvas e oscilações de temperatura com 13% dos cultivos em condição ruim (+2 pontos percentuais em relação à semana anterior); 29% em condição mediana (-3 p.p.) e 58% em condições boas (+ 5 p.p.). Por outro lado os cultivos prestes a colher e em floração sobretudo no Oeste padecem com o excesso de umidade.
 
Relatos dos técnicos da secretaria de agricultura local relatam que não houveram perdas significativas pelas geadas de hoje cedo, exceto nas porções mais baixas da região de Pato Branco. No norte e centro norte do estado os dias secos e quentes propiciam boa perspectiva de avanço nesta semana. Guarapuava que tem os cultivos ainda em fases intermediárias do ciclo, os produtores se dedicam ao tratamento fitossanitário, importante aspecto da produção paranaense deste ano. No Oeste que sofreu com excesso de chuvas no período anterior, há regiões em que a entrada de máquinas para pulverização é dificultada, devendo ocorrer a incidência de doenças fúngicas.
 
Conversas com agentes de mercado do setor, nos esclarecem que a qualidade variável da cultura do milho, aumenta a necessidade de segregação deste produto, não restando espaço físico ou mão de obra para a realização do mesmo trabalho para o trigo em grande parte do estado. Relatos de negociadores destacam recebimento de trigo com ph 72 e falling number abaixo de 200. Como já havíamos comentado a segregação de lotes neste período será bastante prejudicada, trazendo a demanda por trigo importado muito necessária para as farinhas de trigo mais exigentes como panificação e massas frescas e uma banalização das cotações das mais comuns.
Tags:
Fonte:
AF News

0 comentário