Atenção no manejo do trigo para evitar giberela e DON

Publicado em 20/09/2011 08:13 380 exibições
Os triticultores que buscam uma colheita satisfatória precisam estar de olho na lavoura. Fazer o manejo adequado em todas as épocas é fundamental. Para os produtores do Rio Grande do Sul agora é momento de aplicar fungicida para evitar a giberela. Esse cuidado com o trigo precisa ser maior, inclusive, devido a RESOLUÇÃO - RDC Nº 7, de 18 de fevereiro 2011 da ANVISA, que a partir de janeiro de 2012 limita o a quantidade de toxina Deoxynivalenol (DON), presente em grãos giberelados, na farinha.

Na fase do florescimento a planta fica suscetível ao fungo e no espigamento ele se instala.  Segundo o melhorista da Biotrigo Genética, André Cunha Rosa, a invasão acontece em dias de chuva. “Com a giberela ocorre a perda da produtividade devido a má formação do grão, comprometendo o rendimento e a qualidade da plantação de trigo”, destaca.

De acordo com ele, no Rio Grande do Sul, a maior parte do trigo está na fase do espigamento e é preciso fazer manejo para minimizar a giberela. “No Sul do Brasil uma aplicação de fungicida é o normal, mas atualmente é aconselhável fazer duas aplicações na floração. Uma no início e outra de 7 a 10 dias depois”, frisa Rosa, lembrando que o investimento em aplicações se paga, pois a proteção tem garantido mais rendimento e um trigo muito mais sadio e com valor agregado.
 

De acordo com o melhorista da Biotrigo, o tratamento pode ser com fungicidas à base de tebuconazole ou meticonazol dando preferência as misturas destes produtos com estrobilurinas. Vale lembrar ainda que no  pré-espigamento/espigamento também é preciso reforçar a aplicação de um saco de uréia por hectare para obter mais rendimento e qualidade”, explica o Ph.D. em Genética. Todas essas orientações também garantem melhor PH e o peso de mil grãos.

Sobre o a resolução da Anvisa, o melhorista afirma que o Brasil está se adaptando a  legislação que já vigora em outros países os quais há vários anos já controlam o nível de DON no trigo. “Cada vez mais é preciso prestar mais atenção no controle de giberela. Além do dano em produtividade há também uma preocupação com da saúde humana e animal”, comenta, destacando que a legislação entrará em vigor em 2012 mas sobre o trigo que está sendo produzido na safra em andamento.

Para quem busca mais informações e auxílio na tomada de decisão de aplicar fungicida ou não um reforço de fungicida, vale observar o site www.sisalert.com.br que considera os dados climatológicos passados e futuros (previsão) estimar risco de giberela. Além de muito útil nesta hora, o site é gratuito.

Tags:
Fonte:
Biotrigo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário