Mecanização total da colheita da batata pode ser vantajosa apesar de investimento elevado

Publicado em 11/10/2013 10:13
1371 exibições

O uso da mecanização total na colheita da batata pode ser vantajoso para o produtor, já que reduz a necessidade de mão de obra, que pode chegar a 19% dos custos de produção da cultura. A equipe da revista Hortifruti Brasil, do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, avalia na edição Especial Batata (outubro) os prós e os contras da prática, que ainda é pouco utilizada na bataticultura nacional.

Segundo o pesquisador do Cepea João Paulo Bernandes Deleo, por enquanto, a maioria dos produtores opta pelo sistema semimecanizado. “A retirada do solo é mecânica, seguida de catação manual.” O uso da mecanização em todas as etapas – arranquio, catação, carregamento na roça e descarregamento no lavador – ainda é novidade para os produtores.

O maior entrave enfrentado pelos bataticultores é o alto custo para aquisição do maquinário, manutenção dos equipamentos e mudanças necessárias para adaptar o sistema de produção. A matéria de capa simulou o investimento inicial para formar um conjunto de máquinas e equipamentos para o sistema de colheita mecanizada. “Constatamos que, quanto maior a escala da fazenda, principalmente acima de 100 hectares, mais viável torna-se a colheita mecanizada e mais rápido será o retorno do capital investido”, explica Deleo. Uma área de 150 hectares, por exemplo, terá retorno do investimento em cinco anos.

Segundo produtores consultados pelo Cepea, a mecanização total é uma tendência, devido à forte pressão da legislação trabalhista e ao custo elevado da mão de obra no período de colheita. Além disso, a mecanização tende a diminuir as perdas e elevar o rendimento da colheita. Já as condições que desfavorecem essa alternativa são o elevado custo inicial em maquinário, limitação topográfica, manejo adequado e planejamento específico para o sistema de colheita e o fato de a maior parte das estruturas de beneficiamento ainda não estar adaptada para o recebimento de caçambas, equipamentos necessários para a colheita mecanizada.
    
O sistema mecanizado de colheita realmente tem um investimento inicial elevado, mas se torna viável de acordo com o aumento da escala de produção da propriedade para diluir o custo fixo desse capital. O bataticultor precisa, ainda, ter fluxo de caixa compatível com tal investimento ou linhas de financiamento disponíveis para colocar a mecanização em prática. 

Custo de produção

Pelo sétimo ano consecutivo, integrantes da equipe Hortifruti Brasil reuniram-se com produtores para apurar o Custo Total de produção de batata na região de Vargem Grande do Sul (SP) e pela quarta vez no sul de Minas Gerais. Na cidade paulista, a quebra de produtividade teve forte impacto nos custos, já no sul mineiro a produtividade é estável, mas os gastos tiveram aumento de 8%. A revista completa está no site do Cepea: http://cepea.esalq.usp.br/hfbrasil/

Tags:
Fonte: Cepea

0 comentário