Clima do inverno impacta na qualidade do mamão

Publicado em 04/10/2017 14:58

O inverno de 2017 afetou a qualidade do mamão nas principais regiões produtoras da fruta, tanto por conta das chuvas quanto pelas baixas temperaturas. As precipitações de julho, que ocorreram principalmente na Bahia, no Espírito Santo e no litoral do Rio Grande do Norte, favoreceram o aparecimento de doenças fúngicas nos pomares dessas regiões.

Neste locais, inclusive, observou-se a incidência de pinta-preta, mancha-chocolate e antracnose, que afetam a superfície da fruta e limitam as vendas, segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea. Além disso, os baixos patamares dos preços da fruta nessas praças também acarretaram em perda de qualidade, já que limitaram o número de pulverizações nos pomares.

No Rio Grande do Norte, as chuvas, também em julho, resultaram em queda da florada e na lixiviação dos nutrientes do solo, elevando os custos de produção e restringindo o volume disponível para comercialização. Contudo, as precipitações não reverteram totalmente o déficit hídrico dessas regiões, que permanecem com reservatórios bastante baixos.

Quanto às temperaturas, a frente fria que atingiu as regiões produtoras no início da segunda quinzena de agosto aumentou a sensibilidade da casca das frutas, resultando na ocorrência de mancha fisiológica, principalmente nas culturas de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Confira mais informações no site www.hfbrasil.org.br

Fonte:
Cepea/Hortifruti

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário