Cenoura: Baixa disponibilidade mantém cotação elevada em MG

Publicado em 10/05/2019 16:45
20 exibições

Em São Gotardo (MG), a caixa de 29 kg de cenoura “suja” foi vendida a R$ 50,00 nesta semana (06 a 10/05), sem alterações frente à anterior. Os preços não se modificaram, pois o volume descartado ainda permanece alto e o ritmo de colheita não é intenso.

A incidência de “mela” é o principal problema relatado, devido ao calor e à chuva, o que elevam a porcentagem de descarte no processo pós-colheita. Em abril, a produtividade também foi afetada pelas condições climáticas – tanto no período de plantio e desenvolvimento quanto na colheita – e o rendimento médio foi de 48,4 t/ha, praticamente estável frente a março. Porém, quando comparado à safra 2018, a produtividade é 28,4% menor, uma vez que naquele ano as produções estavam sendo beneficiadas pelo clima a partir de abril.

O plantio da safra de inverno se iniciou em ritmo lento em março, e, segundo colaboradores, até o momento o desenvolvimento não foi prejudicado pelas precipitações, o que deve favorecer a produção das lavouras na temporada. Por outro lado, colaboradores do Hortifruti/Cepea relatam que a área plantada em São Gotardo foi menor no início do semeio.

O motivo é que o clima não estava propício para o semeio das variedades de segundo semestre e, por isso, plantaram mais variedades de verão, o que deve prolongar a temporada de verão. Sendo assim, espera-se um leve atraso para iniciar a colheita da safra de inverno, que normalmente se inicia em julho.

Confira mais informações no site www.hfbrasil.org.br

Tags:
Fonte: Cepea/Hortifruti

Nenhum comentário