Censo Anual Fecula Mandioca

Publicado em 17/03/2010 13:12 1063 exibições

O Centro de Estudos Avançados <?xml:namespace prefix = ns0 ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:smarttags" />em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, acaba de concluir o censo anual do mercado brasileiro de fécula. Em <?xml:namespace prefix = w ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:word" />2009, a produção atingiu 583,8 mil toneladas, sendo que o Paraná respondeu por mais de 70% desse total. Só a região noroeste desse estado concentrou 37,7% da oferta nacional.

A produção de 2009 foi a segunda maior desde o início da série histórica, em 1990 – até 2004, os levantamentos eram feitos pela Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca (Abam), parceira do Cepea.

No ano passado, somente o Paraná ampliou a produção, em 18,9% sobre 2008. Em situação oposta, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Goiás reduziram significativamente a oferta. A queda no primeiro estado chegou a 67,3%, em MS, a 23,1% e em GO foi de 18,7%. Em São Paulo, a produção ficou praticamente estável, com diminuição de apenas 0,5%.

Em 2009, o setor de papel e papelão continuou liderando o consumo, absorvendo quase 24% do produto vendido diretamente pelas fecularias. Outro cliente forte dessas produtoras são os atacadistas, que revendem no varejo. Produtores de biscoitos, massas e tapiocas se destacam entre os clientes desses vendedores. Indústrias de panificação e frigoríficos vêm na seqüência como grandes consumidores de féculas.

Os preços no segundo semestre/09 estiveram bastante elevados, mas as baixas do primeiro período resultaram em preços médios 2,3% menores que os de 2008. O aumento do volume, contudo, proporcionou ligeiro aumento da receita das fecularias.

Em 2009, com os menores estoques desde 2004, ano de forte crise de oferta no setor, os preços também são os maiores desde aquele período. Agora, em março, começa a colheita de mandioca na região Centro-Sul. A expectativa é que a produção de raiz seja apenas 3% maior que a do ano passado, na casa de 27,5 milhões de toneladas, segundo o IBGE.

As informações do censo de feculares do Cepea  foram obtidas por meio de questionários enviados para as 74 fecularias do Brasil (100% das unidades em operação no país), sendo recebidos 77% do total até fevereiro de 2010. Para as empresas não-respondentes, o Cepea fez estimativa com base em informações coletadas pela própria equipe semanalmente.

Veja no artigo anexo, assinado pelos pesquisadores do Cepea responsáveis por este setor, outros detalhes deste levantamento.

No
site do Cepea estão disponíveis cotações semanais da raiz, da fécula e da farinha de mandioca. Para os dois primeiros produtos, há levantamentos nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul; para farinha, excetua-se Mato Grosso do Sul.

 

Clique aqui e veja o material completo.

Tags:
Fonte:
Cepea/Esalq

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário