Publicidade

Portos do Paraná fecham trimestre com chuva intensa e alta na exportação de milho

Publicado em 09/04/2013 16:32 333 exibições
Apesar da chuva, aumento geral foi puxado pelas operações dos granéis sólidos agrícolas. Destaque para a exportação de milho e açúcar e importação dos fertilizantes.
Os portos de Paranaguá e Antonina fecharam o primeiro trimestre de 2013 com 9,46 milhões de toneladas movimentadas. O volume é 2% superior ao movimentado no mesmo período de 2012. No entanto alguns produtos, como o milho e o açúcar, foram os destaques.
 
As exportações de milho fecharam os três primeiros meses do ano com 1,6 milhão de toneladas. O volume é 208% maior do que o registrado no ano passado. “Somente no mês de março, exportamos praticamente o mesmo volume de milho movimentado em todo o primeiro trimestre do ano passado, 561 mil toneladas. A chuva acabou atrasando os embarques e ainda há dois navios de milho carregando e outros dois para carregar. Agora que concluímos o embarque do milho safrinha, a tendência é que a soja e o farelo cresçam em movimentação”, afirma o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.
 
A movimentação do milho se estendeu até março sobretudo por conta das intensas chuvas. Relatórios estatísticos da Appa apontam que no primeiro trimestre deste ano, as paralisações nos embarques causadas por chuva somaram 31 dias. No ano passado, no mesmo período, foram 15 dias de paralisação.
 
Apesar das condições climáticas adversas, a Appa conseguiu manter a logística de recebimento de cargas e carregamento nos navios sem a formação de filas. O sistema carga online, que emite senhas para que os caminhões graneleiros cheguem a Paranaguá, está permitindo que o atendimento da safra ocorra sem maiores prejuízos aos atores do sistema. “Não temos registro de filas. A intensa campanha de comunicação que temos feito com caminhoneiros, exportadores e operadores está surtindo efeito e evitado a formação de filas que só traz prejuízos”, afirma Dividino.
 
Na manhã desta terça-feira (9), 67 navios aguardavam ao largo para carregar grãos em Paranaguá.  No entanto, apenas dois (3%) têm carga total, estando prontos para carregar. A maioria, 50 navios (75%), ainda não possui carga. Entre os navios que não tem carga nominada, ocorrem duas situações: ou a carga ainda não chegou do interior, ou não foram sequer negociadas. Os outros 15 navios têm carga parcialmente composta.
 
Açúcar – O volume de açúcar exportado, no primeiro trimestre deste ano, também é maior em comparação com o período de 2012. Até o último mês de março, foram mais de 846 mil toneladas embarcadas, 88% a mais que o registro do ano passado, quando foram exportadas quase 451 mil toneladas.
 
Um dos motivos apontados para o aquecimento do mercado do açúcar é o preço convidativo para os compradores internacionais. “Em média, os preços do açúcar no mercado internacional estão dez por cento menores. Com isso, a procura pelo produto aumenta e o mercado fica mais aquecido”, explica o engenheiro agrônomo Disonei Zampieri, da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento.
 
Fertilizantes – Ainda de acordo com Zampieri, ao contrário do que acontece com o açúcar, os preços da soja e do milho estão melhores para o exportador. Com isso, quem vende os produtos antecipa a compra dos insumos, principalmente dos fertilizantes.
 
Pelos portos paranaenses, no primeiro trimestres, foram quase 2,2 milhões de toneladas de fertilizantes importados este ano – 27% a mais que o volume importado em 2012, pouco mais de 1,7 milhão.
Tags:
Fonte:
APPA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário