Sem ação intensiva agora e no futuro, medidas paliativas na BR-163 são "enxugar gelo", diz vice-prefeito

Publicado em 04/03/2019 17:32
708 exibições

LOGO nalogo

As chuvas mais intensas no Pará vão até os últimos dias de março e se não houver uma ação mais intensiva nos poucos dias de estiagem que costuma ter na região de Novo Progresso, vai se “enxugar gelo”. A situação, portanto, é assim: vão rodar os comboios parados, como no sábado, depois o tempo fecha e a paralisação continua.

No domingo os comboios não rodaram. Nesta segunda (4) também estão parados.

“Ao menos não está crescendo as filas”, disse há pouco o vice-prefeito da cidade por onde corta a BR 163, lembrando do fechamento da fronteira com o Mato Grosso para carretas que precisam fazer o trajeto aos portos do Arco Norte, Gelson Dill (MDB-PA).

Está-se discutindo nesse momento da segunda-feira (4), entre a Polícia Rodoviária Federal, a Prefeitura, o Denit e o Exército a possibilidade de se jogar uma massa asfaltica para dar mais aderência ao trecho mais complicado de serra, de cerca de 28 kms.

Dill estima que em toda a região, que compreende ainda Alvorada do Amazonas, 30 kms antes de Novo Progresso, devem ter mais de 2 mil carretas à espera da liberação das estradas – e da melhora do clima, naturalmente.

Diante da situação, com apenas 800 caminhões tendo rodado no sábado e com a instabilidade natural do clima amazônico - quando é mais comum as fortes e prolongadas pancadas de chuvas do que dias de estiagem – o Notícias Agrícolas não encontrou o representante da Prefeitura da cidade muito otimista.

“Todo ano é a mesma coisa. E não é só enxugar gelo agora, se não resolverem a situação de abril em diante, com a parada das águas, o ano que vem vai se repetir, ou seja, “continuaremos enxugando gelo”. Sobre se faltou recursos e se houve suspeita de desvios de recursos, desde que  começaram as primeiras licitações, ele disse não saber responder.

Mas concorda com a opinião de Edeon Vaz Pereira, presidente do Movimento Pró-Logístico, que em entrevista ao Notícias Agrícolas, disse que as licitações fatiaram em pequenos lotes a BR 163 e, com isso, várias pequenas empresas sem experiência ganharam pelo preços mais baixos.

Gelson Dill elogia a ação das autoridades nos últimos dias, especialmente da PRF, mas está aguardando o futuro para ver como fica a nova realidade.

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, garante que recursos serão destinados para as obras necessárias na BR 163, saiba mais clicando aqui 

arte ministro br 163

 

Tags:
Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Essa aí é a cultura da reclamação, a exemplo das tão famosas "reclamações" trabalhistas. Os problemas são tantos que resolvendo esse ainda faltarão uns mil e tantos, e se fosse apenas a obra não haveria problemas..., o verdadeiro problema está nas fraudes em licitações e corrupção da burocracia, muitas vezes a mesma que reclama da falta de solução dos problemas.

    3
  • Carlos Francisco ipiranga do norte - MT

    Não precisa ser vice-prefeito pra saber que isso vai se repetir o ano que vem de novo!

    0