Desmatamento no Cerrado em 2018 é o menor já registrado pela série histórica do MMA

Publicado em 11/12/2018 12:14 e atualizado em 11/12/2018 19:31
436 exibições
Relatório aponta para uma redução de 11% em relação ao período anterior


O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) informam que a área desmatada no bioma Cerrado no período de agosto de 2017 a julho de 2018 foi de 6.657 km² (Prodes Cerrado 2018), valor que corresponde a 11% de redução em relação ao período anterior. É a menor área desmatada já registrada na série histórica.

O desmatamento observado no Cerrado em 2018 é 33% menor do que o mapeado em 2010, ano em que foi iniciado pelo Governo Federal o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado (PPCerrado).

cerrado1

Fonte: Inpe/Prodes Cerrado 2018 (organizado pelo MMA).
Observação: Como desmatamento considera-as a supressão total da vegetação nativa, incluindo as diversas formações.
A ocorrência de desmatamento nos estados que compõem o bioma Cerrado foi da seguinte forma:
cerrado 2

A mensuração foi realizada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) no âmbito do Projeto de Monitoramento Cerrado (Prodes Cerrado), cujos dados encontram-se disponíveis aqui. O Prodes Cerrado é um dos produtos do Programa de Monitoramento Ambiental do Biomas Brasileiros, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente.

O mapeamento utilizou imagens de satélite para quantificar as áreas suprimidas maiores do que um hectare. Foi considerado como desmatamento a remoção completa da vegetação nativa, o que inclui todas as fitofisionomias do bioma, florestais, savânicas e campestres.

O Relatório de Balanço 2018 das ações do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm) e do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado (PPCerrado) apresenta análises dos dados mais recentes do desmatamento nos dois biomas. 

Desmatamento do Cerrado cai para mínima recorde em 2018 (Reuters)

BRASÍLIA (Reuters) - O desmatamento do Cerrado brasileiro, bioma que ocupa um quarto do país, recuou 11 por cento e atingiu uma mínima recorde em 2018 quando comparado com o ano anterior, informou o Ministério do Meio Ambiente em um comunicado emitido nesta terça-feira.

O desmatamento do bioma do Cerrado totalizou 6.657 quilômetros quadrados, uma área maior do que o Estado norte-americano do Connecticut.

Foi um pouco menos do que os 6.777 quilômetros quadrados de 2016, a mínima anterior desde que os registros começaram a ser feitos, segundo o ministério.

O dado contrasta com o da floresta Amazônica, que representa 40 por cento do território brasileiro e testemunhou um aumento de 13,7 por cento no desmatamento neste ano, para uma máxima em dez anos.

Ativistas têm expressado temores de que o desmatamento aumente por conta das diretrizes propostas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que toma posse em 1o de janeiro, e que prometeu acabar com a atual "indústria da multa" para violações ambientais como o desmatamento.

O número relativo ao Cerrado se baseia na mudança vista no desmatamento entre agosto de 2017 e julho de 2018, o período usado para se medir o desflorestamento anual, tal como registrado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O comunicado não deu uma explicação para a diminuição do desmatamento no Cerrado.

A vegetação do Cerrado absorve grandes quantidades de dióxido de carbono, o que torna sua preservação crucial para conter as emissões de gases de efeito estufa e refrear o aquecimento global.

    Embora o Cerrado não seja tão densamente arborizado quanto a floresta amazônica, suas plantas têm raízes profundas que prendem o carbono no solo e às vezes são classificadas como uma floresta subterrânea.

    Ricardo Salles, futuro ministro do Meio Ambiente no governo Bolsonaro, disse à Reuters na segunda-feira que Bolsonaro não extirpará os recursos para a proteção ambiental, ao contrário do que temem os ambientalistas.

    O dinheiro para a proteção ambiental é mal administrado e gasto de forma ineficiente, disse ele, argumentando que é capaz de produzir resultados melhores com o mesmo orçamento.

    (Por Jake Spring)

 

Fonte: Ascom/MMA

1 comentário

  • Augusto Mumbach Goiânia - GO

    Alguns podem achar lindo ("Desmatamento no Cerrado em 2018 é o menor já registrado")..., outros podem achar pouco. Eu acho que isso significa que o país não cresceu, que novos empregos não serão gerados, que o PIB será menor.

    1
    • Rafael Antonio Tauffer Passo Fundo - RS

      Hoje poucos produtores tem renda para abrir área nova.

      0