Estados Unidos indicam importação de 600 mil t de milho do Brasil

Publicado em 13/07/2012 11:08 e atualizado em 13/07/2012 12:22 1045 exibições
De acordo com o analista de mercado João Carlos Kopp, da JCKopp Consultoria, os Estados Unidos seguem importando milho do Brasil. Os norte-americanos já indicaram a compra de 10 cargos de milho, o que deve totalizar um volume de 600 mil toneladas. A entrega está prevista para ser feita entre fevereiro e março. Esta seria a segunda compra norte-americana, sendo a primeira de dois cargos - 120 mil toneladas - para uma fazenda de gado de confinamento. 

As importações de milho pelos EUA serão bem-vindas para a safrinha recorde desse ano e sobre a boa safra 2012/13 que o Brasil está projetando. O país vem estimando números históricos para o cereal. 

No entanto, seria necessária a venda de um volume bem maior do que esse para aliviar o excedente de produção, segundo analistas. "Esse total de 600 mil toneladas ainda é muito pouco frente a enorme safrinha que temos", disse João Carlos Kopp, da JCKopp Consultoria. 

O Brasil caminha para termos o maior estoque de passagem de milho dos últimos cinco anos e, segundo Kopp, a capacidade de estocagem só até a entrada da safra 2012/13 e soja entre fevereiro e março do ano que vem. 

"Precisamos ver um volume maior nas nossas exportações do cereal para que possamos assumir um cenário altista para o país. Mesmo com o nosso grão U$20/ton mais barato que o americano, os chineses ainda estão devagar nas suas compras na América do Sul", completou o analista.

Soja - Depois da severa quebra de produção na safra 2011/12 por conta do La Niña, a safra brasileira de soja no ciclo 2012/13 deve recuperar seu potencial. Com um aumento de área previsto em 10%, a colheita brasileira da oleaginosa será de aproximadamente 82 milhões de toneladas diante de condições climáticas perfeitas. 

No entanto, apesar desse otimismo para a nova safra de soja brasileira, os produtores não podem tirar sua atenção dos problemas de armazenagem e logística do país que poderiam comprometer o escoamento dessa produção. 

"Infelizmente, o Brasil não possui estrutura para armazenagem e nem ao menos estrutura logística para o escoamento rápido desta produção. Caso essa safra se confirme deverá trazer prêmios porto historicamente baixos", disse João Carlos Kopp. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário