Milho: Com colheita da safrinha preços no mercado interno caem até R$ 3/sc

Publicado em 09/07/2013 15:59 1204 exibições

O aumento na produção da safrinha de milho deve pressionar o mercado nesta safra. De acordo com levantamento da Conab, a produção do cereal teve um aumento de 13,1% em relação à temporada anterior, o que representa uma estimativa de 44,24 milhões de toneladas.

Na última sexta-feira, o Cepea também demonstrou que o clima é favorável à colheita, o que pressiona as cotações do cereal. O leavantamento aponta que os preços do milho caíram 1,3% no mercado de balcão e 2,6% no mercado de lotes no período de 27 de junho a 4 de julho.

Segundo o analista de mercado Leonardo Mussury, da Bocchi Administradora de Negócios, a colheita da safrinha já está refletindo nos preços do Mato Grosso do Sul. Em uma semana, o preço da saca foi de R$20,00 para R$17,00, com quedas diárias de cerca de R$0,50. O analista aponta que a produção do Mato Grosso, que está sendo vendida rapidamente por falta de armazenagem, é uma das responsáveis pela queda no estado vizinho.

Ângelo Ozelame, analista do Imea, aponta também para uma queda brusca de preço no Mato Grosso. Em junho, o preço da saca estava a R$12,62. Na primeira semana de julho, este preço já chegou a R$11,54. O problema de escoamento é intensificado também pela comercialização em andamento da soja.

Na cidade de Sorriso houve uma queda de 6,7% no mercado de lotes, conforme mostra o levantamento do Cepea. A mesma queda ocorreu em Rio Verde (GO). Em Cascavel (PR), esta queda foi ainda maior: 9% no de lotes e 7% no de balcão. Segundo levantamento desta segunda-feira feito pelo Deral, 7% da safrinha já foram colhidos, enquanto a comercialização chega a 10%.

Mussury se mostra pessimista quanto ao comércio de milho em todo o país este ano, uma vez que a estrutura se encontra defasada, principalmente na logística e na armazenagem. "Os fretes irão continuar subindo e o volume de milho no mercado vai ser ainda maior", aponta.

Os dados da Conab mostram que a área total plantada de milho safrinha chegou a 8,95 milhões de hectares, com crescimento de 17,5%.

Cepea: Preços externos e avanço na colheita pressionam cotações do milho no Brasil

Desde a semana passada, praticamente não choveu nas regiões produtoras de milho de segunda safra. A melhora no tempo está favorecendo a colheita do grão e pressionando as cotações em praticamente todas as praças acompanhadas pelo Cepea. As quedas dos preços externos e as dificuldades de armazenamento e transporte, especialmente em Mato Grosso, também influenciaram as baixas. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa, referente à região de Campinas (SP), fechou a R$ 25,72/sc de 60 kg nessa segunda-feira, 8, com baixa de 1,55% frente à segunda anterior – no mês passado, o Indicador caiu 1,8%. Se considerados os negócios também em Campinas, mas cujos prazos de pagamento são descontados pela taxa de desconto NPR, o preço médio à vista foi de R$ 25,29/sc na segunda, também com queda de 1,8% em sete dias.

Tags:
Por:
Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas + Cepea

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário