Milho: Com foco nos fundamentos, mercado amplia perdas na sessão desta 5ª feira

Publicado em 25/09/2014 13:38 178 exibições

Durante as negociações desta quinta-feira (25) na Bolsa de Chicago (CBOT), os futuros do milho intensificaram as perdas. Por volta das 13h00 (horário de Brasília), as principais posições da commodity exibiam quedas de mais de 3,25 pontos. O contrato dezembro/14 era cotado a US$ 3,26 por bushel.

Segundo a analista de mercado da FCStone, Ana Luiza Lodi, o mercado devolve parte dos ganhos registrados na sessão anterior. "Nesta quarta-feira, os preços do milho reagiram, impulsionados, além de uma tentativa de recuperação depois das perdas, mas também pelas altas nos vencimentos do trigo", explica.

Além disso, a analista destaca que o cenário fundamental é negativo para os futuros do cereal. Com a colheita norte-americana da safra 2014/15 estimada em 365,65 milhões de toneladas, podendo alcançar até 370 milhões de toneladas, conforme projeções do mercado, a perspectiva é de cotações ainda pressionadas e o dezembro/14 pode recuar ao patamar dos US$ 3,00 por bushel, de acordo com os analistas.

E à medida que as boas expectativas em relação à produção dos EUA vão se confirmando, os preços recuam. Até o último domingo, cerca de 7% da área cultivada já havia sido cultivada, segundo dados reportados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados) no início dessa semana. 

Enquanto isso, o clima mais quente e seco nos próximos sete dias deverá contribuir com os trabalhos nos campos, segundo sites internacionais. "E com a evolução da colheita temos uma pressão maior sobre o mercado", destaca a analista de mercado. 

Também é preciso destacar que, em outras localidades do mundo são esperadas boas colheitas de milho nesta safra. Na União Europeia, os produtores deverão colher cerca de 71,3 milhões de toneladas, um crescimento de 11% em relação ao ciclo 2013, de acordo com estimativas da Consultoria Francesa Strategie Grains.

Ainda nesta quinta-feira, o IGC (Conselho Internacional de Grãos, na sigla em inglês), projetou a safra global do milho em 974 milhões de toneladas, 0,1% a mais do que o previsto em agosto. Na safra anterior, o volume colhido foi recorde, de 983 milhões de toneladas. Em seu último boletim de oferta e demanda, o USDA estimou a safra mundial do grão em 986,68 milhões de toneladas.

Já os estoques globais do cereal poderão totalizar 191 milhões de toneladas até o final de 2014/15, um crescimento de 8,5% em comparação com a safra anterior, reportou o IGC. Para o USDA, os estoques mundiais da safra 2014/15, deverão somar 173,08 milhões de toneladas.

Paralelo a esse cenário, o departamento divulgou que, até o dia 18 de setembro, as vendas para exportação da safra 2014/156 de milho ficaram em 836,3 mil toneladas, contra 659,7 mil toneladas anunciadas na semana anterior. O número ficou dentro da estimativa dos participantes do mercado, entre 600 até 900 mil toneladas do cereal.

No mesmo período, as vendas referentes à safra 2015/16 foram projetadas em 270 mil toneladas.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário