Milho: Redução de área em 2015 nos EUA poderia trazer uma média de preços de US$ 4,00/bushel na CBOT

Publicado em 13/10/2014 16:45 388 exibições

Uma das funções do mercado de grãos é direcionar as decisões dos produtores, processo que começa com o plantio das culturas de outono, principalmente o trigo de inverno, e segue até a primavera. E a avaliação do mercado de quanto de área cada cultura irá demandar em cada ciclo é complexa e muda constantemente. 

Para o milho, todos os fatores observados indicam que seram necessários menos acres cultivados nos Estados Unidos em 2015, segundo o economista agrícola Darrel God, da Universidade de Illinois, em um artigo para o site norte-americano Agriculture.com. 

No boletim mensal de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou na última sexta-feira (10) apontou que os estoques finais da safra 2014/15 deverão ser de 52,86 milhões de toneladas no início da safra 2015/16, o maior em dez anos, mesmo diante de um consumo recorde de 346,86 milhões de toneladas. 

Com base no padrão des estimativas de produtividade do USDA em anos anteriores, quando o rendimento médio dos EUA foi bem acima do valor de tendência, como é o caso deste ano, muitos esperam que o número final do ano possa exceder a última projeção de 184,37 sacas por hectare. Assim, se ao final do ano a estimativa de produção é maior do que a previsão atual e o consumo está perto do estimado agora, os estoques finais podem ficar próximos de 60 milhões de toneladas.  

A grande safra 2014 dos EUA e elevados estoques finais no país devem resultar, portanto, em um ano de preços agrícolas bem mais baixos, sendo, em média, de US$ 3,00 por bushel ou abaixo disso, ainda de acordo com Good, o que fica muito aquém dos custos de produção dos agricultores . Assim, uma maneira de direcionar os produtores no tamanho da área destinado à cada cultura é combinando os dados de produção, consumo e estoques finais que resultem em um cenários de preços melhores na temporada 2015/16, com valores de mercado próximos dos US$ 4,00 por bushel. 

Um estudo feito pelo economista mostra que o preço médio pago ao produtor era de US$ 4,20 no ano safra 2007/2008, com um percentual de 12,8% na relação estoques finais x consumo; US$ 4,06 em 2008/2009 com 13,9% e US$ 4,46 em 2013/14 com 9,1%. 

"Na próxima temporada, esse poderá ser um mercado com uma média de preços de US$ 4,00 por bushel se tivermos uma taxa de 12% na relação de estoques finais x consumo. Se o consumo norte-americano de milho durante a safra 2015/16 se mantiver próximo do recorde projetado para este ano, os estoques finais perto de 40 milhões de toneladas representariam esse percentual de 12%. Com estoques iniciais de 60 milhões de toneladas, importações de 510 mil, um consumo de 350 milhões de toneladas e uma safra de milho perto das 330 milhões de toneladas, teríamos estoques finais na casa das 40 milhões de toneladas", explica o economista no artigo publicado no site Agriculture.com. 

Com uma tendência de que a produtividade do cereal em 2015 fique perto de 172 sacas por hectare, seria necessário que 32,56 milhões de hectares fossem colhidos para produzir, aproximadamente, 330 milhões de toneladas. Para que essa magnitude fosse alcançada na colheita, seria preciso que 35,72 milhões de hectares fossem plantados, o que indica que 1,63 milhão de hectares a menos do que a última projeção do USDA para o plantio de 2014, 3,6 milhões a menos do que a área de 2012 e um número equivalente ao plantado em 2010.

"Essas avaliações todas podem mudar até a época de plantio da próxima safra por parte do mercado. Porém, esse mesmo mercado traz preços agora para o milho em 2015 que sugerem que uma redução na área plantada com o cereal estaria sendo incentivada, com a perspectiva de um aumento do espaço destinado à soja e ao trigo, commodities que possuem preços mais atrativos e uma relação mais favorável em relação ao milho", explica Darrel Good. 

O grande dilema, no entanto, é que, ao mesmo tempo em que se indica uma necessidade de redução na área de milho, um aumento nas áreas de soja ou trigo pode não ser preciso. Os estoques norte-americanos de trigo estão projetados para crescer durante o atual ano comercial e a tendência é de que, em 2015, haja uma produção maior sem haver um aumento de área nos EUA. 

"Nessa conjuntura, aparentemente a área plantada de milho poderia cair o suficiente em 2015 para criar um cenário onde os preços médios ficariam na casa dos US$ 4,00 por bushel na safra 2015/16. No entanto, a média de preços teria que continuar motivando essa redução de área até a época de plantio do novo ciclo. As primeiras indicações das intenções de semeadura dos produtores serão reveladas somente no início de janeiro do próximo ano", acredita o economista. 

Tradução: Notícias Agrícolas
Por Carla Mendes

Tags:
Fonte:
Agriculture.com

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário