Milho: Mercado mantém tom negativo e investidores ainda observam movimentação nos preços do petróleo

Publicado em 03/12/2014 12:16 220 exibições

Durante as negociações desta quarta-feira (3), os futuros do milho na Bolsa de Chicago (CBOT) ampliaram as perdas. Por volta das 12h39 (horário de Brasília), as principais posições do cereal registravam quedas entre 3,25 e 3,75 pontos. O vencimento dezembro/14 era cotado a US$ 3,64 por bushel.

De acordo com informações reportadas pelo site internacional Farm Futures, os investidores permanecem atentos à situação do petróleo, que ainda impacta os preços das commodities, especialmente o milho. A desvalorização registrada recentemente nas cotações da commodity compromete diretamente a competitividade do etanol.

"O milho tem um vínculo maior com o petróleo, com os preços em patamares mais baixos, acaba desestimulando a produção de etanol. E nos EUA, cerca de 36% da safra do cereal é destinada à produção do etanol", conforme explica o consultor de mercado da Carlos Cogo Consultoria Agroeconômica, Carlos Cogo.

Segundo dados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), do estimado para a produção da temporada 2014/15, 365,67 milhões de toneladas, em torno de 130,82 milhões de toneladas serão destinados para a produção de etanol. As informações foram divulgadas no último boletim de oferta e demanda.

Além disso, com a alta acumulada nos preços do cereal desde meados de outubro, que chega a 12%, os investidores também optam pelo movimento de realização de lucros para amenizar as perdas com o petróleo, segundo ainda destaca o consultor. "E a tendência é que o petróleo continue influenciando as cotações do cereal. Até que tenhamos uma notícia de demanda forte, que movimente o mercado", acredita Cogo.

Na contramão desse cenário e como um fator limitante das quedas, o USDA reportou nesta quarta-feira a venda de 196 mil toneladas de milho para o México. O volume deverá ser entregue na temporada 2014/15. Esse é o segundo anúncio de vendas feito essa semana. Na última segunda-feira, foi divulgada a venda de 126 mil toneladas do cereal para destinos desconhecidos.

BM&F Bovespa

Na BM&F Bovespa, os preços futuros do milho trabalham em campo negativo nesta quarta-feira. Por volta das 12h10 (horário de Brasília), os principais contratos registravam quedas entre 0,54% e 1,92%. O vencimento março/15 era negociado a R$ 28,62 a saca, após ter encerrado o dia anterior a R$ 28,95 a saca.

A desvalorização observada no câmbio, a moeda norte-americana é cotada a R$ 2,555 na venda, com perda de 0,82%, juntamente com a queda no mercado internacional pesam sobre os preços do cereal. O dólar trabalha no negativo nesta quarta-feira à espera das medidas que serão tomadas pela nova equipe econômica e também em dia de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), conforme dados do G1 São Paulo.

Paralelamente, os analistas também destacam que a perspectiva é que os preços busquem uma acomodação, depois das fortes altas observadas. "Os produtores rurais devem estar atentos, pois as exportações ainda estão em nível preocupante e alta vista no mercado tem mais um caráter especulativo. Por isso, é perigoso que os produtores carreguem o grão para vender mais adiante", alerta Cogo.

Isso porque, logo se iniciará a colheita da safra de verão e haverá milho no mercado, além disso, é preciso liberar espaços nos armazéns para estocar a cultura da soja.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário