Milho: Em Chicago, preços ainda testam recuperação e mantêm o movimento positivo nesta 6ª feira

Publicado em 05/08/2016 12:37 e atualizado em 05/08/2016 17:55
241 exibições

Os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) continuam exibindo ligeiras altas no pregão desta sexta-feira (5). Por volta das 11h53 (horário de Brasília), as principais posições da commodity registravam ganhos entre 0,25 e 1,25 pontos. O vencimento setembro/16 era cotado a US$ 3,22 por bushel, enquanto o dezembro/16 era negociado a US$ 3,32 por bushel.

O mercado ainda tenta se recuperar depois das recentes quedas observadas. Ainda ontem, os preços consolidaram mais uma perda e encerraram o dia nos patamares mais baixos dos últimos 7 anos. "Hoje, os preços estão tentando seguir as cotações da soja, que registram valorizações mais fortes", disse Bryce Knorr, editor e analista do portal Farm Futures.

E, segundo os analistas, a perspectiva de uma safra volumosa nos EUA, podendo ser recorde, continua pesando sobre o mercado. De acordo com informações atualizadas e reportadas pelo NOAA - Serviço Oficial de Meteorologia do país - o Meio-Oeste deverá receber chuvas dentro da média e, até em alguns lugares, acima da normalidade no período de 12 a 18 de agosto. Enquanto isso, as temperaturas deverão ficar acima da normalidade no mesmo intervalo.

76% das lavouras permanecem em boas ou excelentes condições nos EUA, conforme último reporte do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). E a perspectiva é que a produtividade das plantações fique acima das projeções iniciais, de 177,8 sacas do grão por hectare.

"Estimativas de colheita estão vindo um pouco acima da média, até agora, mais do que o suficiente para atender a demanda. Enquanto isso não mudar, o milho tem potencial de rally limitado", disse Knorr.

BM&F Bovespa

A sessão desta sexta-feira (5) é de ligeira alta aos preços do milho negociados na BM&F Bovespa. As principais posições do cereal exibiam valorizações entre 0,12% e 0,65%, por volta das 12h06 (horário de Brasília). O vencimento setembro/16, referência para a safrinha, era cotado a R$ 45,17 a saca. Já o novembro/16 era cotado a R$ 46,15 a saca.

O mercado também testa uma ligeira recuperação após quedas registradas essa semana. Isso porque, o Mapa divulgou que está tomando medidas para a importação de 1 milhão de toneladas de milho transgênico dos EUA. Paralelamente, no mercado interno, as cotações ainda têm mostrado firmeza diante da retração das vendas por parte dos produtores rurais, conforme ponderam os analistas.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário