Com preço atrativo, produtor voltará a aumentar a área do milho no Rio Grande do Sul

Publicado em 09/08/2016 07:20
76 exibições

Preterido pelos agricultores gaúchos nos últimos anos, o milho voltou a ser um negócio atrativo. A razão é o aumento expressivo do preço da saca paga ao produtor, de pouco mais de R$ 20, há um ano, está hoje acima dos R$ 40. Entre os fatores que contribuíram para a valorização, está a escassez na oferta do grão — motivada pela redução da safrinha no país e aumento das exportações.

Especialistas avaliam que as cotações permanecerão estáveis, mesmo com a previsão de aumento de área. O presidente da Associação dos Produtores de Milho do Rio Grande do Sul (Apromilho), Cláudio de Jesus, e o consultor da Safras & Mercados, Paulo Molinari, apostam em uma cotação próxima a R$ 40.

No estudo de rentabilidade da safra de milho 2016/2017, elaborado pela Céleres Consultoria, também são estimadas margens elevadas para o grão.

— Os valores comercializados hoje devem se manter até 2017 e isso faz com que a cultura volte a atrair o produtor — prevê o analista de mercado da Céleres, Enilson Nogueira.

Mas a área técnica do Ministério da Agricultura alerta que se o estoque de passagem do cereal ficar em 4,47 milhões de toneladas em 31 de janeiro de 2017 — época da colheita no Rio Grande do Sul —, a tendência é que o valor da saca volte a baixar.

Confira a notícia na íntegra no site do Zero Hora

Fonte Zero Hora

Nenhum comentário