Milho: Mercado recua mais de 1% em Chicago na semana; nesta 6ª dados do USDA pesaram

Publicado em 12/01/2018 17:58
428 exibições

LOGO nalogo

Na Bolsa de Chicago (CBOT), a semana foi negativa aos preços do milho. Conforme levantamento realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, as principais posições da commodity recuaram entre 1,20% e 1,42%.

Já no pregão desta sexta-feira (12), as principais posições do cereal caíram mais 3 pontos. Os futuros ampliaram as perdas após o reporte de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e o vencimento março/18 fechou o dia a US$ 3,45 por bushel. O maio/18 era cotado a US$ 3,54 por bushel.

Inclusive, ao longo dos últimos dias o mercado havia exibido ligeiras movimentações, uma vez que os investidores já se preparavam para o boletim. Assim como esperado pelo, o departamento revisou para cima a safra dos EUA de milho na temporada 2017/18.

O número subiu de 370,3 milhões de toneladas para 370,96 milhões de toneladas. A produtividade das lavouras americanas também foi revista e subiu 185,65 sacas para 186,9 sacas do grão por hectare. Da mesma forma, os estoques finais do país subiram de 61,9 milhões para 62,92 milhões de toneladas.

Leia mais:

>> Soja: USDA reduz exportações e aumenta estoques finais dos EUA

Ainda nesta sexta-feira, o departamento trouxe os números dos estoques trimestrais. Na posição 1º de dezembro de 2017, os estoques de milho estavam em 317,52 milhões de toneladas. O número ficou dentro do esperado pelos traders, entre 310,66 a 321,96 milhões de toneladas. Em igual período de 2016, o número era de 314,62 milhões de toneladas.

O órgão informou ainda a venda de 320 mil toneladas de milho para destinos desconhecidos. O volume negociado deverá ser entregue ao longo da campanha 2017/18.

No quadro fundamental, os participantes do mercado seguem atentos ao clima na Argentina. Até o momento, cerca de 85,8% da área total foi cultivada com o cereal. "O plantio de milho na Argentina segue atrasado em função da falta de umidade no norte do país, enquanto no centro e no sul da área agrícola ele já se encontra em sua etapa final", destacou a Bolsa de Cereais de Buenos Aires (BCBA).

Mercado brasileiro

A semana foi lenta aos preços do milho praticados no mercado doméstico. Ainda conforme levantamento da equipe do Notícias Agrícolas, em Paranaguá, o contrato futuro para entrega em agosto/18 fechou a semana a R$ 29,00. No terminal de Rio Grande, o preço para entrega em março/18 ficou em R$ 29,50 a saca.

"No mercado físico, o volume de ofertas melhorou durante esta semana com compradores e produtores mais ativos", destacou a Radar Investimentos em seu comentário diário.

Além disso, a corretora também chama a atenção para o comportamento do dólar, que está no radar dos participantes do mercado. A moeda norte-americana caiu 0,38% e fechou a sexta-feira a R$ 3,2062 na venda, menor nível desde o dia de 20 de outubro, quando o câmbio encerrou a R$ 3,1898.

"O dólar relegou o rebaixamento da nota brasileira pela agência de classificação de risco Standard & Poor's na véspera e seguiu o recuo da moeda norte-americana ante outras divisas no exterior, voltando ao patamar de 3,20 reais nesta sexta-feira", informou a Reuters.

Confira como fecharam os preços nesta sexta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário