Milho: Preços caem quase 1% em Chicago e cedem até 7,89% no BR mesmo com alta do dólar

Publicado em 18/10/2018 18:28
304 exibições

LOGO nalogo

No pregão desta quinta-feira (18), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago, que trabalharam o dia todo em campo negativo, encerram os negócios perdendo quase 1% entre seus principais vencimentos.

As baixas dos principais vencimentos ficaram entre 2,75% e 0,94%. Com isso, o dezembro/18 fechou em US$ 3,70 e o março/19 em US$ 3,83 por bushel.

Segundo explicaram analistas e consultores de mercado, os principais fatores de pressão sobe as cotações do grão foram a melhora do clima no Corn Belt, a menor produção de etanol nos Estados Unidos e os recém divulgados números das vendas semanais norte-americanas para exportação trazidos pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

O relatório informou que as vendas semanais de milho totalizaram somente 382,5 mil toneladas da safra 2018/19. O volume marca a mínima do ano comercial e é 62% menor do que o número da semana anterior, além de ficar 72% abaixo do registrado na média das últimas quatro semanas. O México foi o maior comprador da semana.

No acumulado da temporada, as vendas americnas do grão já somam 21.088,2 milhões de toneladas e, apesar do volume semanal bem baixo, esse total é bem maior do que o do ano passado, quando passavam em pouco mais de 14,9 milhões de toneladas.

"Com certa ausência de Brasil e Argentina no segmento externo, as exportações de milho dos EUA andam a todo vapor", explica Camilo Motter.

Mercado Brasileiro

No mercado futuro brasileiro, as cotações também recuaram, à exceção do vencimento novembro/18, que subiu 0,28% para R$ 35,50 por saca. Os demais contratos caíram quase 2% na B3, levando o março/19 a R$ 36,29.

As referências no interior do Brasil também cederam, mesmo de forma pontual. Em Tangará da Serra, no Mato Grosso, o indicativo cedeu 2,04% e foi a R$ 24,00. No porto de Paranaguá, o preço apara agosto do ano que vem foi a R$ 35,00 por saca e caiu 7,89% somente nesta quinta.

As baixas vieram mesmo com a alta do dólar. A moeda norte-americana terminou a sessão desta quinta-feira com alta de 1,16% e valendo R$ 3,7250, após três sessões consecutivas de baixas intensas.

Veja mais:

>> Dólar segue exterior, tem correção e sobe ante real

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário