Chicago encerra sexta-feira com milho em alta pela primeira vez na semana

Publicado em 02/03/2019 07:40 e atualizado em 03/03/2019 18:12
225 exibições

Após apresentar desvalorizações ao longo do dia, os preços internacionais do milho encerram a sexta-feira (01) com altas na Bolsa de Chicago (CBOT) pela primeira vez nessa semana. As principais cotações registraram valorizações entre 2 e 2,25 pontos. O vencimento março/19 era cotado a US$ 3,64, o maio/19 valia US$ 3,73 e o julho/19 era negociado por US$ 3,81.

A ARC Mercosul analisa que as francas movimentações do mercado são originadas pela saturação de especulações não confirmadas. As pequenas altas de hoje foram sustentadas pelos anúncios não oficiais de que um memorando de entendimento havia indicado o fim da guerra comercial.

As movimentações não foram maiores porque o mercado de commodities americano está saturado de noticiário e demanda passos mais concretos para a efetivação deste memorando, que indicaria o fim das barreiras tarifárias e a adição de pacotes de incentivos para o comércio bilateral entre Estados Unidos e China, em meados de março

O site Barchart aponta ainda que essa leve alta foi influenciada pelos compromissos de milho para exportação (vendas embarcadas e pendentes), que são 0,7% maiores do que no mesmo período do ano passado.

A consultoria americana Kluis Commodity Advisors reportou aos seus clientes que “Estamos finalmente na entrega do milho de março, por isso, procuremos uma baixa de curto prazo em breve. O mercado ainda continua um pouco desconfortável, pois ainda não temos um acordo comercial feito com a China. Com isso o dinheiro parece que quer ficar à margem”.

Mercado Interno:

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a valorização apareceu somente na praça de Dourados/MS (3,03% e preço de R$ 34,00).

Já as desvalorizações foram registradas apenas em São Gabriel do Oeste/MS (2,44% e preço de R$ 32,00) e Brasília/DF (2,78% e preço de R$ 35,00).

A Radar Investimentos aponta que o mercado físico do milho entrou em compasso de espera. Com isto, o volume negociado é pequeno e o comprador que precisar de abastecer deve encarar marcações de preços maiores.

A XP Investimentos destaca que o mercado paulista de milho encerra a semana especulado e com as atenções no carnaval. Nesta sexta-feira (01), a amostra da XP Investimentos registra R$ 41,71/sc, maior referência desde 24/08/2018 e recorde por 11 dias consecutivos. A regionalização dos lotes, por conta dos fretes elevados, é o ponto chave, com intermediários e silos subindo as pedidas pelos lotes de diferido sabendo que as Indústrias e Granjas necessitam formar estoques para o feriado.

Já a Agrifatto Consultoria complementa que há relatos de menor pressão vendedora para exportação, o que manteve praticamente inalterado os prêmios para o milho (ao redor de US$ 0,30/bu). Mas também existem indicações de reaquecimento pelo lado da demanda no curto prazo, o que ainda precisará ser confirmado.

Além disso, os mapas climáticos não sofreram grandes alterações, com previsão de chuvas acima da média para MG, GO e MT na próxima semana, mas abaixo da média histórica para os três estados da região Sul do país.

Confira como ficaram as cotações nessa sexta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário