USDA aponta aumento dos estoques e milho encerra semana em baixa na Bolsa de Chicago

Publicado em 10/05/2019 17:10 e atualizado em 13/05/2019 09:34
181 exibições

LOGO nalogo

A semana chega ao final com leves quedas nos preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago. As principais cotações registraram desvalorizações entre 0,75 e 2,00 pontos negativos nesta sexta-feira (10).

O vencimento maio/19 foi cotado à US$ 3,42, o julho/19 valeu US$ 3,51 e o setembro/19 foi negociado por US$ 3,61.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho recuaram hoje, depois que os traders absorveram principalmente dados de oferta e demanda de baixa do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) no início da tarde.

Para os Estados Unidos, o USDA apontou, para a safra 2018/19 do milho, um aumento dos estoques finais de 51,69 para 53,22 milhões de toneladas. Além disso, o USDA ainda trouxe uma projeção menor do uso do cereal para a produção de etanol para 138,44 milhões de toneladas. 

Já a produção global, por outro lado, foi revisada para cima e agora é estimada pelo USDA em 1.119,0 bilhão de toneladas, com estoques finais de 325,94 milhões de toneladas. A safra brasileira foi estimada em 100 milhões de toneladas - contemplando primeira e segunda safras - e os estoques finais do país subiram para 9,81 milhões de toneladas.

Analisando a safra 2019/20, a produção de milho dos EUA deverá subir agressivamente para 381,78 milhões de toneladas, com produtividade de 184,11 sacas por hectare. Apesar do rendimento menor do que o da safra anterior, a área deverá ser bem maior nesta temporada, 37,56 milhões de hectares e a colhida em 34,56 milhões.

“Não houve nada de positivo no relatório. De agora em diante o mercado determinará qual é o valor justo de mercado para essas enormes ofertas”, afirma o analista Don Roose, da U.S. Commodities.

Confira mais detalhes sobre o relatório do USDA:

>> EUA deverão ter estoques finais de soja e milho maiores na safra 2019/20

Mercado Interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, as únicas praças que apresentaram desvalorização foram Tangará da Serra/MT (7,41% e preço de R$ 25,00) e Campo Novo do Parecis/MT (8,00% e preço de R$ 23,00).

Não foram percebidas valorizações nessa sexta-feira.

Para a XP Investimentos, essa é mais uma semana que se encerra com intensa pressão baixista nas referências do milho. O início de colheita da safra de inverno nos estados do Paraná e Mato Grosso deixou as cotações “pesadas” no mercado local.

Na última quinta-feira, a Conab realizou sua 5ª rodada de leilões dos estoques públicos de milho no Mato Grosso. Foram ofertas mais 50 mil toneladas e apenas 13,5% foi demandado, quebrando a sequência crescente de demanda que vinha se observando (5,4% na 1ª, 25,5% na 2ª, 29,6% na 3ª e 50,0% na 4ª).

Confira como ficaram as cotações nesta sexta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário