Milho: melhora na demanda sustentou altas em Chicago nesta quinta-feira

Publicado em 21/11/2019 16:57
242 exibições
Exportações americanas e demanda interna dos EUA cresceram

LOGO nalogo

A quinta-feira (21) chega ao final com os preços internacionais do milho futuro mantendo as valorizações do dia na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram altas entre 0,75 e 1,75 pontos.

O vencimento dezembro/19 foi cotado à US$ 3,68 com ganho de 1,75 pontos, o março/20 valeu US$ 3,79 com valorização de 1,75 pontos, o maio/20 foi negociado por US$ 3,84 com alta de 1,25 pontos e o julho/20 teve valor de US$ 3,90 com elevação de 0,75 pontos.

Esses índices representaram ganhos, com relação ao fechamento da última quarta-feira, de 0,55% para o dezembro/19, 0,80% para o março/20, de 0,26% para o maio/20 e de 0,26% para o julho/20.

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros de milho aumentaram com sinais de melhoria nas exportações e na demanda doméstica.

“Os contratos futuros de milho CBOT firmaram um dia após atingir o menor nível em dois meses, com analistas observando a demanda de exportadores e processadores domésticos”, aponta Julie Ingwersen da Reuters Chicago.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) registrou vendas de exportação de milho na última semana em 788.000 toneladas, 49% acima da média anterior de quatro semanas. Além disso, a Administração de Informações de Energia dos EUA disse que a produção semanal de etanol à base de milho nos EUA aumentou pela oitava semana consecutiva.

“Acho que já vimos o fundo na demanda de milho por etanol e nas exportações. A história da demanda no milho provavelmente melhora um pouco daqui para frente. Muitos agricultores têm contratos básicos ou outros contratos vinculados a esses contratos futuros de dezembro. Eles serão forçados a fixá-los entre agora e o primeiro dia de aviso, que é na próxima sexta-feira”, disse Joe Vaclavik, presidente da Standard Grain, uma corretora do Tennessee.

Mercado Interno

No mercado físico brasileiro, a quinta-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, foram registradas desvalorizações apenas em Tangará da Serra/MT (1,64% e preço de R$ 30,00) e Campo Novo do Parecis/MT (1,69% e preço de R$ 29,00).

Já as valorizações foram percebidas nas praças de Assis/SP (1,30% e preço de R$ 39,00), Dourados/MS (1,41% e preço de R$ 36,00) e São Gabriel do Oeste/MS (2,86% e preço de R$ 36,00).

Em seu reporte diário, a Radar Investimentos informou que o mercado físico do milho está em alta em boa parte das regiões produtoras com o produtor retendo parte da produção, preocupações climáticas e o dólar firme.

Para o analista da Germinar Corretora, Roberto Carlos Rafael, os preços do milho no mercado interno devem seguir valorizados durante a reta final de 2019 e o primeiro trimestre do próximo ano. “Provavelmente teremos algumas vendas para abrir espaço para o armazenamento da soja e janeiro pode ter um pequeno aumento da oferta com uma leve diminuição nos preços, mas as cotações devem seguir nos níveis atuais, talvez um pouquinho mais altos, até abril”, comenta.

Na visão do analista de mercado da Agrinvest Eduardo Vanin, as cotações que hoje giram em torno dos R$ 47,00 para a praça de Campinas/SP devem subir ainda mais e ficar nos R$ 50,00 nas próximas semanas e início de 2020.

Confira como ficaram as cotações nesta quinta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário