Milho: cotações da B3 seguem elevadas nesta terça-feira

Publicado em 27/10/2020 11:49 e atualizado em 27/10/2020 16:40 522 exibições
Chicago opera próximo da estabilidade

LOGO nalogo

A Bolsa Brasileira (B3) segue registrando valorizações para os preços futuros do milho nesta terça-feira (27). As principais cotações operavam com movimentações positivas entre 0,60% e 1,30% por volta das 11h42 (horário de Brasília).

O vencimento novembro/20 era cotado à R$ 84,14 com elevação de 0,60%, o janeiro/21 valia R$ 84,70 com ganho de 1,03%, o março/21 era negociado por R$ 83,31 com alta de 0,65% e o maio/21 tinha valor de R$ 78,00 com valorização de 1,30%.

De acordo com análise da Agrifatto Consultoria, com a chegada do mês de novembro/20, os compradores que optaram pela estratégia da “mão para boca” voltaram ao mercado e encontram milho mais caro.

Além disso, as exportações de milho voltaram a se acelerar na última semana, com cerca de 1,37 milhão de toneladas embarcadas nos últimos cinco dias úteis.

Leia Mais:

+ Brasil exporta 1,3 milhão de toneladas de milho em uma semana, mas média diária de outubro segue inferior ao ano passado

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro operavam em campo misto, próximo da estabilidade, na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta terça-feira. As principais cotações registravam movimentações entre 0,50 pontos negativos e 0,25 pontos positivos por volta das 11h35 (horário de Brasília).

O vencimento dezembro/20 era cotado à US$ 4,18 com valorização de 0,25 pontos, o março/21 valia US$ 4,18 com alta de 0,25 pontos, o maio/21 era negociado por US$ 4,19 com queda de 0,25 pontos e o julho/21 tinha valor de US$ 4,18 com perda de 0,50 pontos.

Segundo informações da Agência Reuters, a forte demanda de exportação dos Estados Unidos apóia o mercado de milho após uma enxurrada de propostas de países como Coréia do Sul, Taiwan e Irã.

Na última segunda-feira (26), o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reportou que os EUA já embarcaram 6,093,191 milhões de toneladas em todo ano comercial, com um total que supera o ano anterior em 75%. 

“O contrato futuro de milho mais ativo atingiu seu maior valor desde 12 de agosto de 2019 durante a noite”, destaca Mark Weinraub da Reuters Chicago.

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário