Milho larga com movimentações em campo misto nesta quarta-feira

Publicado em 18/11/2020 09:35 e atualizado em 18/11/2020 12:05 253 exibições
B3 e CBOT registravam altas e baixas para os contratos futuros

LOGO nalogo

A quarta-feira (18) começa com os preços futuros do milho operando em campo misto na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações entre 0,34% negativo e 0,54% positivo por volta das 09h28 (horário de Brasília).

O vencimento janeiro/21 era cotado à R$ 79,90 com estabilidade, o março/21 valia R$ 80,00 com alta de 0,25%, o maio/21 era negociado por R$ 73,85 com perda 0,34% e o setembro/21 tinha valor de R$ 65,15 com ganho de 0,54%.

No último pregão, os contratos do cereal brasileiro encerram contabilizando leves perdas na B3. O contrato janeiro/20 caiu 0,52%, o março/21 perdeu 0,50%, o maio/21 baixou 0,40% e o setembro/21 se desvalorizou 0,08%.

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro também operavam em campo misto na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta quarta-feira. As principais cotações registravam movimentações entre 0,25 pontos negativos e 1,50 pontos positivo por volta das 09h20 (horário de Brasília).

O vencimento dezembro/20 era cotado à US$ 4,21 com valorização de 1,50 pontos, o março/21 valia US$ 4,27 com alta de 0,50 pontos, o maio/21 era negociado por US$ 4,29 com queda de 0,25 pontos e o julho/21 tinha valor de US$ 4,30 com perda de 0,25 pontos.

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos do milho em Chicago operam sofrendo influência positiva da demanda chinesa por grãos e negativa da queda no setor de etanol.

“A demanda chinesa por milho atualmente permanece forte devido à alta demanda por ração animal e aos suprimentos danificados na China após tempestades e secas. No entanto, as vendas de etanol de milho no Brasil e nos Estados Unidos continuam sendo uma preocupação”, disse Casper Burgering, economista sênior do ABN AMRO.

Relembre como fechou o mercado na última terça-feira:

>> Terça-feira chega ao fim com milho recuando na B3

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário