Milho se recupera na B3 e passa a subir nesta 6ªfeira

Publicado em 20/11/2020 11:57 e atualizado em 20/11/2020 17:13 422 exibições
Chicago permanece em alta após exportações

LOGO nalogo

Os preços futuros do milho ganharam força nesta sexta-feira (20) e se recuperaram na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,41% e 1,33% as 11h42 (horário de Brasília).

O vencimento janeiro/21 era cotado à R$ 79,79 com valorização de 1,33%, o março/21 valia R$ 79,32 com alta de 0,85%, o maio/21 era negociado por R$ 74,15 com elevação de 0,41% e o julho/21 tinha valor de R$ 66,80 com estabilidade.

Os contratos do cereal brasileiro responderam ao movimento altista na Bolsa de Chicago e no câmbio, com o dólar subindo 0,94% e sendo cotado à R$ 5,35 as 11h52 (horário de Brasília).

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) manteve as altas para os preços internacionais do milho futuro nesta sexta-feira. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 3,50 e 4,75 pontos por volta das 11h44 (horário de Brasília).

O vencimento dezembro/20 era cotado à US$ 4,26 com elevação de 3,50 pontos, o março/21 valia US$ 4,31 com ganho de 4,25 pontos, o maio/21 era negociado por US$ 4,34 com valorização de 4,75 pontos e o julho/21 tinha valor de US$ 4,34 com alta de 4,50 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho saltaram mais de 1% no comércio da madrugada, auxiliados por bons fundamentos de oferta e demanda, com a força de propagação da soja dando suporte adicional. 

“Os preços oscilaram nas últimas semanas, mas tiveram um ímpeto moderadamente positivo no geral nas últimas semanas, atingindo os níveis mais altos desde julho de 2019”, aponta o analista Ben Potter.

A publicação destaca ainda que os embarques de exportação de milho na semana passada ficaram 9% acima da média das quatro semanas anteriores, para 33,3 milhões de bushels. A China foi o destino número 1, com 11,0 milhões de bushels.

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário