Cotação do milho começa a 3ªfeira em campo misto na B3

Publicado em 01/12/2020 09:19 268 exibições
Chicago sobe com demanda aquecida pelo grão

LOGO nalogo

A terça-feira (01) começa com os preços futuros do milho operando em campo misto e movimentações leves na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam flutuações entre 0,42% negativo e 0,03% positivo por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento janeiro/21 era cotado à R$ 77,74 com perda de 0,42%, o março/21 valia R$ 77,67 com baixa de 0,42%, o maio/21 era negociado por R$ 74,14 com queda de 0,35% e o julho/21 tinha valor de R$ 68,80 com alta de 0,03%.

No pregão de ontem, o último do mês de novembro, os contratos do cereal brasileiro marcaram perdas de 0,67% para o janeiro/21, de 0,76% para o março/21 e de 0,40% para o maio/21.

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, as chuvas dos últimos dias melhoraram a qualidade das lavouras da safra verão, mas algumas perdas já são irreversíveis. “Principalmente no Rio Grande do Sul, que já perdeu 1,5 milhão de toneladas do potencial que teria de 6 milhões. Também tiveram perdas grandes em Santa Catarina, especialmente nas lavouras plantadas mais cedo”, pontua.

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro começaram a terça-feira em alta na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 2,50 e 2,75 pontos por volta das 09h05 (horário de Brasília).

O vencimento dezembro/20 era cotado à US$ 4,22 com valorização de 2,50 pontos, o março/21 valia US$ 4,28 com ganho de 2,75 pontos, o maio/21 era negociado por US$ 4,31 com elevação de 2,75 pontos e o julho/21 tinha valor de US$ 4,32 com alta de 2,50 pontos.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os futuros de grãos subiram no comércio da madrugada no início de dezembro devido a preocupações com o clima no Brasil e a demanda contínua por milho.

O estresse da safra deve se recuperar em um terço das áreas de cultivo de soja e milho do Brasil esta semana, embora isso possa diminuir no fim de semana, disse o Commodity Weather Group em um relatório.

“As áreas de cultivo no extremo sul devem permanecer secas por pelo menos os próximos seis a 15 dias, embora as chuvas devam retornar às regiões de cultivo centro-oeste e nordeste neste fim de semana”, disse o CWG.

Além disso, os preços do milho aumentaram depois que exportadores relataram vendas separadas de 140.000 toneladas métricas e 204.000 toneladas do grão para compradores estrangeiros não identificados.

“As vendas de exportação de milho têm sido robustas nas últimas semanas, impulsionando os preços”, comenta o analista Tony Dreibus.

Relembre como fechou o mercado na última segunda-feira:

>> Milho recua no Brasil nesta 2ªfeira com disponibilidade crescendo e compradores ausentes

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário